Tomás, filho de Bruno Covas, defendeu que pai fosse enterrado em Santos, cidade do time de coração

·2 minuto de leitura
Sao Paulo's mayoral candidate of the Brazilian Social Democracy Party (PSDB), Bruno Covas, flashes the Victory sign with his son Tomas as he votes at a polling station in Sao Paulo during Brazil's municipal elections on November 15, 2020. - Brazilians voted Sunday in municipal elections that will test the strength of the country's rightward shift under President Jair Bolsonaro, with the coronavirus pandemic looming large -- and likely denting turnout. (Photo by Nelson ALMEIDA / AFP) (Photo by NELSON ALMEIDA/AFP via Getty Images)
Bruno Covas e o filho, Thomás, compartilhavam a paixão pelo Santos Futebol Clube (Foto: Nelson Almeida/AFP via Getty Images)
  • Tomás, filho de Bruno Covas, pediu que o pai fosse enterrado em Santos

  • Plano inicial era que ex-prefeito fosse cremado

  • Pai e filho compartilhavam a paixão e a torcida pelo Santos Futebol Clube

Tomás Covas, 15 anos, foi quem pediu para que o pai, Bruno Covas, fosse enterrado em Santos no último domingo (16). A informação é da coluna Painel, da Folha de S. Paulo.

Inicialmente, Covas seria cremado na Vila Alpina, em São Paulo. Essa havia sido a primeira informação divulgada para as pessoas próximas ao ex-prefeito da capital paulista. 

O filho, por outro lado, pediu para que o tucano fosse enterrado em Santos. Bruno Covas nasceu na cidade litorânea e, além disso, pai e filho são torcedores do Santos Futebol Clube. O velório aconteceu na capital paulista e, em seguida, o corpo foi para a cidade natal de Covas

Em fotos ao lado de Covas no hospital, Tomás costumava aparecer com a camisa do Santos. Em janeiro, eles estiveram juntos na final da Libertadores, no Maracanã.

Pai e filho eram muito próximos. No fim de abril, Covas compartilhou uma foto do filho das redes sociais e agradeceu a Tomás por estar sempre próximo. “Com você ao meu lado, a vontade de vencer é gigante. Obrigado por estar sempre aqui, filho. Eu te amo”, escreveu Covas na ocasião.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Carreira política dedicada ao PSDB

Bruno Covas Lopes nasceu em Santos, no litoral de São Paulo e se mudou para a capital paulista em 1995, onde cursou direito na USP e economia na PUC-SP.

Foi eleito vice-prefeito de São Paulo em 2016, assumindo a gestão em 2018, com a saída do então prefeito João Doria (PSDB), hoje governador de São Paulo.

Mas a vida política para Covas começou bem antes do comando da prefeitura da capital paulista. Aos 17 anos de idade, em 1997, ele filiou-se ao PSDB, partido pelo qual se dedicou durante toda a vida pública.

Tinha grande influência do avô Mario Covas, ex-governardor de São Paulo, afastado do cargo por um câncer e morto em 2001.

Aos 23, no ano de 2003, Covas já havia assumido a presidência estadual da Juventude do partido. Em 2004, foi candidato a vice-prefeito de Santos. Dois anos depois, foi eleito deputado estadual e foi reeleito em 2010 com a maior votação do estado, à época.

No mesmo período, tornou-se presidente nacional da Juventude do PSDB.

No ano seguinte, em 2011, assumiu a Secretaria do Meio Ambiente do governo do estado de São Paulo, à frente da qual permanece até 2014, ano em que foi eleito deputado federal.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos