'Tomem logo a decisão, a minha está tomada': Tebet dá 48h sobre apoio no 2º turno

'Tomem logo a decisão, a minha está tomada': Tebet dá 48h sobre apoio no 2º turno. REUTERS/Adriano Machado
'Tomem logo a decisão, a minha está tomada': Tebet dá 48h sobre apoio no 2º turno. REUTERS/Adriano Machado

A candidata Simone Tebet (MDB) afirmou neste domingo (2) que vai aguardar a decisão dos partidos de sua aliança para anunciar posição e possível apoio no segundo turno das eleições. "Que em 48h vocês decidam, porque eu vou me pronunciar", declarou em coletiva de imprensa após o anúncio do 2º turno da eleição presidencial.

Luís Inácio Lula da Silva (PT) e Jair Bolsonaro (PL) irão para o 2º turno da eleição presidencial. O petista ficou com 47,85% dos votos validos, enquanto Bolsonaro teve 43,70%. Cerca de 97% das urnas estão apuradas. Simone Tebet (MDB) teve 4,22% dos votos válidos, enquanto Ciro Gomes (PDT) teve 3,06%.

"A palavra agora está com os presidentes dos partidos porque, repito, sou uma política que respeita o processo decisório, o processo eleitoral. Mas que, no máximo, em 48 horas vocês decidam porque eu vou me pronunciar, porque tenho uma responsabilidade junto com Mara", completou Simone Tebet.

"O povo falou e nós acatamos a vontade soberana do povo. O povo optou por 2 turnos, e mais do que isso, nos fez gigantes. Foi muito difícil chegar onde chegamos", declarou a senadora.

"Apesar de tudo, contra tudo e todos, saímos do zero, precisávamos justificar a nossa candidatura, e conseguimos fazer uma caminhada muito boa. Estou muito feliz, mais do que a campanha, era uma campanha politica (...). Homens terão que ouvir o que as mulheres na política irão dizer", defendeu a candidata do MDB, que relembro que esta foi a maior votação do MDB da história.

Simone reforçou o pedido aos aliados partidários sobre a nova fase da campanha da corrida presidencial. "Roberto, acelere a decisão do Cidadania; Peço ao MDB que faça o mesmo. E ao PSDB e Podemos que façam o mesmo. Só não esperem de mim – eu que tenho uma trajetória de vida de luta pelo país, neste país que tanto precisa de nós – omissão. Tomem logo a decisão, porque a minha está tomada. Eu tenho lado e vou me pronunciar no momento certo. Só espero que vocês entendam que esse não é qualquer momento do Brasil", declarou.