Topo do Arco de Darwin, formação rochosa em Galápagos, desaba

·1 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O arco de Darwin, formação rochosa nas ilhas Galápagos, Equador, desabou parcialmente, anunciou o Ministério do Meio Ambiente do Equador, país do qual as ilhas fazem parte, na segunda (17). De acordo com a pasta, motivo foi a erosão natural das rochas. As duas colunas que sustentavam a ponte que as unia seguem de pé.

A formação rochosa foi um dia parte de uma ilha homônima, nomeada em homenagem ao naturalista inglês Charles Darwin, que usou o arquipélago equatoriano como laboratório para desenvolver sua teoria sobre a evolução das espécies.

As proximidades do arco são um ponto popular para mergulho, já que há grande variedade de vida submarina. Turistas passando pelas redondezas a bordo de embarcações também costumam fotografar a formação. Não é permitido, porém, acesso terrestre à ilha Darwin ou ao arco si.

Galápagos, arquipélago formado por 234 ilhas, ilhotas e rochedos (com apenas 4 ilhas habitadas e população de 30 mil pessoas), fica no Pacífico, a cerca de 1000 km da costa do Equador. Com flora e fauna únicas, é Patrimônio Natural da Humanidade. Seus habitantes mais famosos são as tartarugas-das-galápagos, que podem pesar até 400 kg. A espécie também é longeva e um exemplar, em cativeiro na Austrália, chegou aos 170 anos.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos