Torcedor assume ambulância em jogo do Estadual de MG após atraso de médico: 'Apresentei o CRM e começou'

·2 min de leitura

RIO - Prevista para as 20h desta quarta-feira, a partida entre Democrata e Patrocinense, válida pela primeira rodada da Série A do Campeonato Mineiro, atrasou cerca de 20 minutos por falta de médico. Não fosse o geriatra Ramail Pouzas, de 44 anos, a demora poderia ser ainda maior. Torcedor do clube mandante, ele foi ao estádio José Mammoud Abbas, em Governador Valadares, para assistir à estreia da equipe que conquistou o acesso à divisão de elite do estado no ano passado. Acompanhado de amigos, soube da ausência do profissional e topou assumir o posto na ambulância.

- Estava todo mundo empolgado com a estreia na Série A. O jogo não começava. O pessoal começou a ficar irritado, sem saber o porquê. Fui ao banheiro e, quando saí, um colega meu que é amigo do presidente do Democrata falou: 'O médico está aqui, se o senhor quiser, ele ajuda lá'. E eu não estava entendo nada. Até que ele falou comigo que o jogo não tinha começado porque a ambulância não tinha médico. Então eu topei - disse Pouzas ao GLOBO.

Geriatra e professor da faculdade de Medicina da Univale, Pouzas apresentou seu registro no Conselho Regional de Medicina (CRM) e foi levado ao gramado. O médico, que vestia uma camisa 10 do Democrata, ficaria no meio de campo incialmente. Para evitar problemas com a torcida adversária, sugeriram que se posicionasse junto à equipe de enfermagem atrás do gol, próximo à ambulância. Antes, ele ouviu brincadeiras dos atletas da Patrocinense.

- Pediram o CRM, me levaram até lá, assumi a ambulância e o jogo começou. Em 15 minutos, o médico, que estava em outra intercorrência, chegou e assumiu o meu posto - contou. - Entrei no gramado, e o pessoal do Patrocinense ficou me zoando. "Doutor com a camisa do time pode?". Na brincadeira mesmo. E eu disse: "Vou ser o médico e nós vamos ganhar de vocês" (risos) - disse.

A previsão, no entanto, falhou: a partida terminou empatada em 1x1. O Democrata chegou a abrir o placar aos 19 minutos, com gol do meia Marcelinho. Já aos 28 minutos do segundo tempo, a Patrocinense empatou. Caio Ribeiro marcou para o adversário.

Na súmula, o árbitro João Luiz Gomes Neto relatou que a "partida iniciou-se com vinte e um minutos de atraso, em virtude da falta do médico da ambulância".

Após a partida, uma foto de Pouzas no gramado viralizou nas redes sociais com um logotipo de "craque do jogo", prêmio oferecido pela TV Globo ao melhor do jogo em suas transmissões. Quando o médico acordou nesta quinta-feira, se deparou com "umas mil mensagens" em seu celular.

- Nem imaginava que ia repercutir tanto. Meus amigos, colegas médicos, gente da cidade onde nasci (Alvarenga-MG) me mandando mensagem. Foi uma experiência inusitada, mas eu saí triste. Queria que meu time ganhasse - afirmou o geriatra, que também é cruzeirense.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos