Torcedor cumpre promessa e tatua imagem de Rodinei após título do Flamengo na Libertadores

Marcello Neves
1 / 2

WhatsApp Image 2019-11-28 at 20.53.44.jpeg

Torcedor tatuou Rodinei com taça da Libertadores

O bicampeonato da Copa Libertadores conquistado pelo Flamengo fez com que vários torcedores tivessem que pagar pelas promessas feitas. Muitas delas foram tatuagens, que estão sendo desenhadas nos corpos dos rubro-negros espalhados pelo país. Mas um em especial foi além, e deixou de lado as imagens da taça ou do gol decisivo marcado por Gabigol para dar lugar ao bom humor. Victor Hugo Camilo Reis, de 28 anos, decidiu eternizar imagem do lateral-direito Rodinei levantando o troféu.

— Na derrota para o Emelec (oitavas de final), o Flamengo fez uma campanha no Facebook para que os torcedores fizessem promessas. Eu pensei "poxa, o Diego é bonito, mas a tatuagem tem que ser algo inesperada e diferente". Pensei no Rodinei, por ser um jogador que a torcida não gostava, e prometi que faria. Tinha que ser algo que eu pudesse contar para meus amigos e netos — conta. 

De fato, agora ele tem história para contar. Victor mora em Belford Roxo, trabalha como porteiro em Nova Iguaçu e se tornou uma celebridade em ambos os municípios da Baixada Fluminense — e também na internet. Quando o Flamengo venceu o River Plate por 2 a 1, em Lima, no Peru, viu seu Whatsapp ser tomado por mensagens de amigos e torcedores rivais, que lembraram da promessa e o cobraram. O desenho foi feito no último dia 27 com um amigo tatuador. 

— Todos duvidaram que eu faria, alguns que torcem para rivais até vieram me cobrar quando o Flamengo virou o jogo. Fui lá e fiz essa homenagem. Conversei com o tatuador e disse que queria fazer o Rodinei com a taça. Ele não acreditou, mas começamos a conversar sobre isso. No dia seguinte após o título, disse que não estava bêbado e queria fazer a tatuagem — brincou Victor:

— Meus amigos estão todos me zoando, minha mulher quase me matou. Tivemos que ter um pouco de jogo de cintura para pegar dinheiro e fazer essa tatuagem, mas promessa é promessa — completa, citando Izabella Marques, de 27 anos, com quem está casado há três anos.

Apesar de ser fã de tatuagens, esta é a primeira relacionada ao Flamengo. Victor sempre disse ao seu avô Veridiano Camilo, de 78 anos, que queria esperar o momento exato para ficar na história e homenagear o clube do coração. Agora, ele espera ter uma chance de conhecer Rodinei e o elenco do Flamengo.

— Quero levar meu primo de 8 anos, que é torcedor fanático, para conhecer o Rodinei e o elenco. Espero um dia poder conhecê-lo.