Torcedor que invadiu campo em partida da Copa do Mundo é banido dos estádios do Qatar

Torcedor italiano invadiu gramado durante partida da Copa do Mundo 2022 (Foto: ODD ANDERSEN/AFP)


A partida entre Portugal e Uruguai desta última segunda-feira de Copa do Mundo, foi marcada por uma invasão ao campo de um torcedor. O italiano Mario Ferri entrou no gramado enquanto a partida acontecia para realizar um protesto. Após o ato, o fã do esporte foi banido dos estádios do Qatar.

+ Artilheiros da Copa do Mundo 2022: veja lista de jogadores atualizada

O homem foi detido ainda em campo pelas autoridades locais. Como resultado da ação, o italiano teve o Hyya Card, cartão exigido para entrar nos estádios do país árabe, apreendido. Na invasão, Mario Ferri carregava uma bandeira em referência à causa LGBTQIAP+ e usava uma camisa com as frases "salve a Ucrânia" e "respeito pelas mulheres iranianas".

- Após a invasão do campo, que ocorreu durante a partida de Portugal x Uruguai na noite passada, podemos confirmar que o indivíduo envolvido foi liberado logo após ser retirado do campo e sua embaixada foi informada. Como consequência de suas ações, e como de praxe, seu Hayya Card foi cancelado e ele foi banido de estar em futuras partidas neste torneio - informou o Comitê Supremo do Legado da Copa do Mundo.

Esta não foi a primeira vez que o italiano invadiu o gramado durante uma partida de futebol profissional. Aliás, ele é famoso na internet por realizar certo ato. A primeira ocorrência aconteceu em 2010, em um confronto entre Sampdoria e Napoli, pelo Campeonato Italiano. Na invasão, o torcedor queria chamar a atenção do técnico Marcelo Lippi pela não convocação do atacante Antonio Cassano para a Copa do Mundo.

Posteriormente, o torcedor começou com uma sucessão de invasões em partidas de futebol. Ele atuou na Copa do Mundo de 2010, na semifinal entre Alemanha e Espanha com a faixa "Lipe eu avisei". Na época, a Itália já havia sido eliminada no torneio.

+ Alex Sandro se torna mais um desfalque da Seleção Brasileira na Copa do Mundo

Mario Ferri também agiu na Copa do Mundo do Brasil, de 2014. Na invasão, ele entrou em campo com uma camisa do super-homem e com a mensagem "salvem as crianças da favela". Na atual edição do torneio, o italiano escolheu como temas do protesto, a causa do público LGBTQIAP+ no Qatar, direito das mulheres iranianas e a guerra da Ucrânia.