Torcedores flamenguistas vão à igreja de São Judas Tadeu pedir proteção e a vitória na final da Libertadores

Devota de São Judas Tadeu e rubro-negra apaixonada, a família do estudante Felipe Seixas, de 20 anos, foi ontem ao Cosme Velho, na Zona Sul do Rio, à igreja do santo protetor do Flamengo pagar uma promessa e fazer outra. Reconheceram a graça alcançada no último dia 19, quando o time foi campeão da Copa do Brasil no Maracanã, após disputa de pênaltis contra o Corinthians. E aproveitaram para pedir ao padroeiro, cujo dia é celebrado hoje, a vitória amanhã, na final da Libertadores, contra o Athletico-PR.

Felipe contou que na final da Copa do Brasil, após perceber que a decisão seria nos pênaltis e que o time dependia de Rodinei, só restou rezar e pedir ajuda ao santo, que é também das causas impossíveis. Ontem, acompanhado de seu pai, Julio Seixas, de 53 anos, da tia-avó, Angela Musco, de 70, e da prima Taina Musco, de 33, o estudante orou e pagou a promessa.

— A disputa com o Corinthians foi bem acirrada, e no finalzinho a gente tomou um gol, eu já estava chorando. Querendo ou não, a decisão ficou nos pés do Rodinei, que era um jogador muito contestado. Então, precisou de muita reza. Na hora, nós nos demos as mãos e pedimos a São Judas. Com pênalti no pé do Rodinei, a gente precisa recorrer a tudo. Prometemos que, se a gente ganhasse, viria aqui agradecer — contou o jovem.

Supersticiosa, a família tenta assistir aos jogos sempre unida. E claro, se o Flamengo vence, todos vestem a mesma camisa nas partidas seguintes. Felipe já está com a roupa separada para o jogo de sábado. Não estarão no estádio, na cidade de Guayaquil, Equador, mas a festa flamenguista para 50 pessoas, com direito a pagode, está garantida.

O padre Henrique Jorge Diegues, que celebra as missas no santuário do Cosme Velho, contou que São Judas era primo de Jesus e, durante um período, foi confundido com Judas Iscariotes, o apóstolo traidor. Foi Santa Brígida, no século 14, que teve visões de Jesus em que Ele lhe falava de São Judas Tadeu, que, a partir de então, ganhou devotos no mundo todo.

No Brasil, em 1945, foi fundado o Santuário na Zona Sul em homenagem ao santo — segundo do país. E lá, dois párocos torcedores do Flamengo, nos anos 1950, celebraram missa e fizeram orações para, naquela ocasião, o time superar uma fase ruim. A seca de vitórias passou e as conquistas recomeçaram, levando o Rubro-Negro ao tricampeonato carioca consecutivo. Assim, o santo virou o protetor da nação rubro-negra.

— No último sábado fizemos uma procissão e passamos para abençoar a sede do Flamengo. Mas sou padre, sempre acolho todas as torcidas — ponderou o padre Henrique.

Vestido com o manto rubro-negro e com o santinho do padroeiro do Flamengo sempre na pochete, o aposentado Nelson Luiz, de 75 anos, pedalou ontem da Urca ao Cosme Velho para ir ao Santuário São Judas Tadeu. Foi pedir para o time carioca levantar a taça sábado, quando estará com amigos num churrasco em Petrópolis para ver o jogo e — com muita fé no santo e no time do coração — comemorar o título:

— Vou aproveitar e ir na Igreja de São Judas Tadeu de lá no domingo para agradecer a vitória depois do jogo.

E teve torcedor que veio de longe para rezar pelo Flamengo no santuário. O amazonense Frank Cavalcanti, de 35 anos, no Rio pela primeira vez, traz na pele o orgulho do time: uma tatuagem do brasão rubro-negro, que ele pretende completar com a data de amanhã, dia da vitória da Libertadores, confia ele.

— Quando eu era criança, meu tio comprou uma camisa do Botafogo para mim, mas eu não senti aquela paixão. Sempre via o time perder. Uma vez, vi meu pai assistindo ao jogo do Flamengo e vibrando muito, foi aí que começou minha paixão. Aos 5 anos, virou doença — contou Frank.

A ambulante Michele Mendonça, de 37 anos, que vende flores na porta da igreja do santo, também é "doente" pelo Flamengo:

— É o melhor time do mundo. Sou devota de São Judas Tadeu e tenho certeza que ele irá nos ajudar a trazer esse título, ele é por nós.

São Judas Tadeu,

Glorioso Apóstolo,

Fiel servo e amigo de Jesus!

A Igreja vos honra e invoca por todo o mundo

como Patrono dos casos desesperados

e dos Negócios sem remédio.

Rogai por mim que estou desolado.

Eu vos imploro, fazei uso do privilégio

Que tendes de trazer socorro imediato,

Onde o socorro desapareceu quase que por completo.

Assiste-me nesta grande necessidade,

Para que eu possa receber as consolações e auxílio

Do céu em todas as minhas precisões, tribulações e sofrimentos.

São Judas Tadeu, lembrar-me-ei sempre deste grande favor

E nunca deixarei de vos louvar e honrar como meu especial

E poderoso patrono

E fazer tudo que estiver ao meu alcance

Para espalhar a Vossa devoção por toda parte.

Amém

São Judas Tadeu, rogai por nós.

Ferva três litros de água com três ramos de alecrim, três gotas de perfume e uma colher de chá de mel. Espere amornar e no banho despeje a mistura do pescoço para baixo, enquanto pede ao santo que abra novos horizontes na sua vida. Deixe o corpo secar naturalmente e jogue os restos da mistura em jardim ou vaso.