Tour de Bolsonaro em São João no Nordeste tem discurso de 23 segundos sob vaias e 'mito'

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
***ARQUIVO***BRASÍLIA, DF, 07.06.2022 - O presidente Jair Bolsonaro (PL) durante cerimônia de lançamento do programa Brasil pela Vida e pela Família, no Palácio do Planalto, em Brasília. (Foto: Gabriela Biló/Folhapress)
***ARQUIVO***BRASÍLIA, DF, 07.06.2022 - O presidente Jair Bolsonaro (PL) durante cerimônia de lançamento do programa Brasil pela Vida e pela Família, no Palácio do Planalto, em Brasília. (Foto: Gabriela Biló/Folhapress)

CARUARU, PE (FOLHAPRESS) - O presidente Jair Bolsonaro (PL) arriscou pouco na noite desta quinta-feira (23) em evento aberto ao público no Nordeste. Ao comparecer à festa de São João de Caruaru, em Pernambuco, ele se limitou a um discurso de 23 segundos, enquanto, ao fundo, vaias e alguns gritos de "mito" concorriam.

Diferentemente dos eventos para apoiadores, em que circula em meio ao público por corredores de gradis, Bolsonaro surgiu no lado oposto à imprensa, passou rapidamente em frente ao palco, subiu e ficou em um dos cantos, sem chamar a atenção, ao lado do pré-candidato a governador Anderson Ferreira (PL).

Sua presença foi anunciada por Gilson Machado (PL), ex-ministro do Turismo e pré-candidato a senador pelo PL.

Quando Machado, que também é sanfoneiro da banda Forró da Brucelose, anunciou Bolsonaro, as vaias se avolumaram vindas da maior parte do público, que estava mais distante do palco. Também existiram gritos de apoio ao ex-presidente Lula.

"Caruaru, Pernambuco, boa noite. Capital do forró. Uma satisfação muito grande estar no Nordeste acompanhado de um ex-ministro de Pernambuco, o Gilson Machado. A todos vocês: que Deus ilumine cada um. E que Deus abençoe todo o Brasil. Muito obrigado a todos vocês", disse.

Naquele ponto, os apoiadores do presidente, mais próximos do palco, concorriam com as vaias aos gritos de "mito". Em seguida, Machado e banda começaram a tocar Asa Branca, de Luiz Gonzaga. Durante os primeiros minutos de execução da música, Bolsonaro segurou as bandeiras do Brasil e de Pernambuco e em seguida se retirou.

Na noite em que recebeu o presidente, a festa de São João de Caruaru teve um público significativamente menor do que as mais de 100 mil pessoas que costuma receber por noite.

A segurança também foi reforçada sobretudo próximo ao palco, onde a estrutura com os gradis para que Bolsonaro pudesse circular foi montada e onde seus apoiadores se reuniram. Críticos preferiram evitar dissabores ficando mais ao fundo.

A visita ao Nordeste, reduto eleitoral do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), encerra uma semana difícil para Bolsonaro.

Na quarta (24), o ex-ministro da Educação Milton Ribeiro foi preso em uma operação da Polícia Federal que investiga a existência de um gabinete paralelo sob influência de pastores na pasta.

Nesta quinta-feira, a pesquisa Datafolha apontou Lula com 19 pontos à frente de Bolsonaro no primeiro turno.

Em sua live semanal, pouco antes do show de forró, Bolsonaro disse que exagerou ao afirmar que colocava "a cara no fogo" por Milton Ribeiro, mas disse que continua confiando no ministro.

Nesta sexta-feira (24), Bolsonaro segue no Nordeste. Passa por João Pessoa e Campina Grande, na Paraíba, também para uma festa junina. No sábado (25), vai a Blumenau, em Santa Catarina.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos