Toyota se junta à iniciativa de reciclagem de baterias de EVs da Redwood Materials

Toyota

Por Paul Lienert

DETROIT (Reuters) - A startup norte-americana Redwood Materials disse nesta terça-feira que a japonesa Toyota se tornou a mais recente gigante da indústria automobilística a se juntar à sua iniciativa de reciclagem de baterias de veículos elétricos (EV).

A Redwood, cujos parceiros incluem a Ford e a fabricante de baterias de veículos elétricos Panasonic, está criando um ecossistema de baterias de circuito fechado destinado a reduzir os custos de veículos elétricos diminuindo a dependência de materiais importados e, ao mesmo tempo, reduzindo o impacto ambiental.

A empresa concentrou o trabalho inicial em um campus de 70,8 hectares em Nevada e planeja construir outro complexo no sudeste dos Estados Unidos, disse seu presidente-executivo e fundador, JB Straubel, em entrevista.

A nova instalação seria capaz de abastecer a fábrica de baterias planejada de 1,3 bilhão de dólares da Toyota na Carolina do Norte.

A Redwood Materials está aumentando a produção de componentes de ânodo e cátodo para 100 gigawatts-hora até 2025, o suficiente para fornecer baterias para 1 milhão de veículos elétricos por ano, depois para 500 gigawatts-hora até 2030, o suficiente para fornecer para 5 milhões de veículos elétricos por ano ou mais, disse Straubel, que também é cofundador da Tesla.

A Toyota fabrica veículos elétricos híbridos Prius há mais de duas décadas. Com a vida útil média de um carro de aproximadamente 12 anos, alguns de seus primeiros modelos estarão chegando ao fim de suas vidas úteis.

Uma vez fora de serviço, suas baterias de hidreto metálico de níquel podem ser recicladas e materiais como níquel e cobre reintroduzidos na cadeia de fornecimento de baterias, onde podem complementar as matérias-primas.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos