Tráfego flui no canal da Mancha no 1o dia do Brexit

·2 minuto de leitura
Porto de Dover, sudeste da Inglaterra, em 1º de janeiro de 2021

A circulação de caminhões e mercadorias pelo canal da Mancha flui "sem qualquer problema" nesta sexta-feira (1o), nas primeiras horas da saída definitiva do Reino Unido da União Europeia, apesar dos temores de bloqueios e caos.

Quase 200 caminhões atravessaram na noite de quinta para sexta-feira, após o restabelecimento das formalidades alfandegárias, informou a direção da Getlink, operadora do canal.

Após uma interrupção no tráfego marítimo na véspera de Ano Novo, uma primeira balsa do Reino Unido atracou no porto francês de Calais às 10h15 locais.

A "Pride of Kent", da empresa P&O Ferries, desembarcou 36 caminhões nas docas, dos quais três foram direcionados para controles adicionais, e os demais foram autorizados a continuar sua jornada, apurou a AFP.

Do lado francês, as novas formalidades entraram em vigor à meia-noite, com a chegada ao "pit stop", posto de controle dos caminhões com destino ao Reino Unido, de um primeiro veículo pesado da Romênia, transportando correio e pacotes.

“É um dia difícil para a Europa”, reconheceu o secretário de Estado francês para os Assuntos Europeus, Clément Beaune, que se deslocou ao porto fronteiriço juntamente com o ministro das Contas Públicas, Olivier Dussopt.

"Mas graças aos preparativos, estamos prontos", disse ele.

- 500 licenças antecipadas -

A polícia britânica fechou trechos da estrada principal para Dover, a M20, como parte de seu plano para gerenciar o tráfego de caminhões em direção ao porto do sudeste da Inglaterra.

Para circular em Kent, os caminhões com destino à Europa precisam de uma autorização, entregue por meio eletrônico, comprovando o cumprimento prévio das novas formalidades.

Os infratores podem receber multa de 300 libras esterlinas. Autoridades disseram nesta quinta-feira que emitiram cerca de 500 dessas licenças - válidas por 24 horas - até 1º de janeiro, e esperavam um total de 800.

A primeira balsa ferroviária do Reino Unido também descarregou seu primeiro lote de caminhões sem dificuldade.

Na França, as empresas também devem declarar suas mercadorias antecipadamente online, por meio do sistema "fronteira inteligente".

Com base nestas declarações e em uma análise de risco efetuada durante a travessia, os transportadores recebem um sinal verde que lhes permite continuar a viagem ou uma luz laranja para os deter e fazer passar pelos comandos.

O presidente do porto, Jean-Marc Puissesseau, disse na quinta-feira que está "sereno" no que diz respeito à gestão de tráfego, "porque nos últimos três anos pudemos refinar o que havíamos preparado" para amortecer o Brexit.

Hoje, 70% do comércio entre o Reino Unido e a UE passa por Calais e Dunquerque. Em média, 60.000 passageiros e 12.000 caminhões as cruzam diariamente.

Cmk-cab/msr/mar/me/jc