Três anos de prisão para farmacêutico americano que tentou deteriorar vacinas anticovid

·1 minuto de leitura
Steven R. Brandenburg, 46, retirou frascos da vacinas da Moderna da geladeira de propósito, segundo o tribunal

Um farmacêutico americano foi condenado a três anos de prisão depois que se declarou culpado de deteriorar de forma voluntária dezenas de doses de vacinas contra a covid, informou o Departamento de Justiça.

Steven Brandenburg, de 46 anos, retirou deliberadamente frascos do imunizante da Moderna do refrigerador do hospital em que trabalhava no Wisconsin, de acordo com documentos judiciais.

O farmacêutico também terá que pagar 83.800 dólares ao hospital como compensação.

Ele retirou as vacinas da geladeira durante o turno noturno e as deixou por várias horas em temperatura ambiente antes de colocá-las de volta na geladeira para que fossem aplicadas no dia seguinte.

No total, 57 pessoas receberam estas doses, segundo o governo.

"A tentativa deliberada de deteriorar doses de vacina em uma situação de emergência sanitária nacional é um crime grave", afirmou Brian Boynton, assistente do procurador-geral responsável por questões civis no Departamento de Justiça.

Steven Brandenburg declarou que acreditava que a vacina era perigosa para as pessoas e poderia modificar o DNA.

A vacina da Moderna, assim como a desenvolvida pela Pfizer-BioNTech, é baseada na tecnologia de RNA mensageiro, um sistema que 'ensina' o sistema imunológico a combater um vírus.

Mais de 124 milhões de doses do imunizante da Moderna foram aplicadas nos Estados Unidos.

jfx/reb/lch/pz/bl/zm/fp

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos