Três dias após prisão de cirurgião, 11 mulheres procuraram polícia para denunciá-lo

Três dias após a prisão do cirurgião plástico equatoriano Bolívar Guerrero Silva, de 63 anos, na segunda-feira (18), onze antigas pacientes do especialista procuraram a Delegacia de Atendimento à Mulher (Deam) de Duque de Caxias para fazer boletim de ocorrência contra o médico.

As mulheres alegam que, além de não terem o resultado esperado com as cirurgias, sofreram complicações e problemas de saúde e mostram desespero por terem ficado "deformadas" com os procedimentos.

As operações eram feitas no Hospital Santa Branca, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos