A três dias da eleição, governo amplia em 2 anos prazo de pagamento do Pronampe

A três dias da eleição, o governo Jair Bolsonaro (PL) anunciou nesta quinta-feira (dia 27) mais uma medida econômica com potencial de impacto no segundo turno da corrida presidencial. Uma medida provisória (MP) estendeu de quatro para seis anos o prazo de pagamento dos empréstimos contratados por meio do Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe).

Por meio do programa, pequenas e médias empresas podem ter acesso a empréstimos com juros mais baixos e em condições mais facilitadas. O aumento do prazo para o pagamento dos empréstimos é mais um benefício para o setor.

A campanha de Bolsonaro tenta angariar apoio do público de micro e pequenas empresas. Seu adversário, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), também já prometeu medidas para esses empresários, como um ministério exclusivo para o setor. Micro e pequenas empresas respondem por boa parte do PIB brasileiro e geraram 78% das vagas de trabalho criadas no ano passado.

O governo não divulgou a íntegra da MP. Um comunicado da assessoria de Comunicação Social da Presidência da República afirma que a medida provisória visa a "promover a retomada da capacidade de investimento das empresas tomadoras".

"Almeja-se também, no contexto de deterioração do endividamento das empresas em função da recente subida das prestações atreladas à Selic, a preservação das empresas de pequeno e médio porte afetadas pelas medidas sanitárias de combate à Covid-19, a manutenção dos empregos e a redução da demanda de amparo por trabalhadores desempregados, assim como a retomada econômica mais rápida no pós-Covid", conclui a nota.

O benefício para micro e pequenas empresas é mais uma medida econômica tomada às vésperas da eleição. O governo já liberou, por exemplo, o crédito consignado para beneficiários do Auxílio Brasil — só a Caixa Econômica Federal já emprestou mais de R$ 4 bilhões. Também já ampliou o uso do FGTS para o financiamento imobiliário.