Transição para agro, energia e mineração tem ex-ministros e cotados para governo

Geraldo Alckmin, vice-presidente eleito do Brasil, anuncia nomes da equipe de transição de governo, em Brasília

SÃO PAULO (Reuters) - A senadora Kátia Abreu (PDT-TO), Neri Geller e Luis Carlos Guedes, que foram ministros da Agricultura em gestões petistas, integrarão o grupo da equipe de transição de governo dedicado ao setor agropecuário, anunciou nesta quarta-feira o vice-presidente eleito, Geraldo Alckmin.

Também integrarão o grupo de agricultura o senador por Mato Grosso Carlos Fávaro (PSD), o presidente da União da Indústria de Cana-de-açúcar (Unica), Evandro Gussi, Silvio Crestana, ex-presidente da Embrapa, e Tatiana de Abreu Sá, ex-chefe geral da Embrapa Amazônia Oriental e ex-diretora-executiva da empresa de pesquisa agropecuária.

Entre outros nomes para a equipe de transição, Alckmin anunciou os indicados para o grupo de Minas e Energia, que incluem o ex-ministro Nelson Hubner, o senador Jean Paul Prates (PT-RN), a ex-diretora da reguladora ANP Magda Chambriard e Mauricio Tolmasquim, ex-presidente da estatal Empresa de Pesquisa Energética (EPE) e ex-secretário executivo da pasta.

Alguns dos nomes, como Geller e Fávaro, foram citados como potenciais nomes para o Ministério da Agricultura, assim como Prates vem sendo cogitado para presidente da Petrobras. Entre os indicados também há possíveis candidatos para o Ministério de Minas e Energia.

Anderson Adauto, ex-ministro de Transportes, também integrará o grupo de Minas e Energia.

Integram ainda a equipe de energia William Nozaki, coordenador técnico do Instituto de Estudos Estratégicos de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (Ineep), ligado à Federação Única dos Petroleiros (FUP), e o coordenador-geral da FUP, Deyvid Bacelar.

Uma ausência notada na equipe de Minas e Energia foi o nome de José Sergio Gabrielli, ex-presidente da Petrobras, que enfrenta um processo no Tribunal de Contas da União (TCU) sobre a compra da refinaria de Pasadena, nos EUA.

A equipe de Minas e Energia terá ainda o geólogo Giles Azevedo, ex-secretário executivo do Gabinete Pessoal da ex-presidente Dilma Rousseff, e Robson Sebastian Formica, especialista em energia e integrante da Coordenação Nacional do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB).

Fernando Ferro, engenheiro com especialização em Sistemas Elétricos de Potência, e Guto Quintela, agrônomo e integrante do conselho diretor do Centro de Empreendedorismo da Amazônia, também ocuparão a equipe de Minas e Energia, assim como Ikaro Chaves, diretor da Associação dos Engenheiros e Técnicos do Sistema Eletrobras.

Já Joe Valle, engenheiro florestal, empresário e ex-deputado do Distrito Federal, integra o grupo da agricultura.

(Por Bernardo Caram; Reportagem adicional de Sabrina Valle, em Houston)