Três homens são mortos em operação para tentar encontrar crianças desaparecidas

Marcos Nunes
·2 minuto de leitura

Policiais civis e militares realizaram , nesta sexta-feira, uma operação no Morro do Castelar, em Belford Roxo, na Baixada Fluminense, para tentar encontrar três crianças moradoras da comunidade, que estão desaparecidas há 19 dias. A ação ocorreu um dia após Allan Turnowski, secretário de Polícia Civil, revelar que traficantes podem ter participado do sumiço dos meninos, com idades entre 8 e 11 anos. Nenhum dos garotos foi encontrado, mas após uma troca de tiros, três homens foram baleados.


Levados para o Hospital municipal de Belford Roxo, o trio não resistiu aos ferimentos e morreu. Durante a operação, agentes da Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF), e do Batalhão de Choque, aprenderam duas pistolas, um revólver, um carro e uma motocicleta. Para tentar encontrar uma pista das crianças desaparecidas, policiais usaram cães farejadores para vasculhar terrenos suspeitos. No entanto, nada foi encontrado.

A DHBF passou a ter como principal linha de investigação a participação do tráfico no desaparecimento dos três meninos, depois que traficantes torturam um homem para que ele confessasse o crime. Na última terça-feira, moradores chegaram a levar o então suspeito para a DHBF e um grupo de pessoas ateou fogo em um ônibus. Segundo a polícia, o ato teria sido incitado por traficantes infiltrados em um protesto que pedia justiça e a prisão do homem torturado.


A DHBF investigou o caso e não encontrou provas de que ele tivesse sido responsável pelo triplo desaparecimento. O homem foi autuado em flagrante por ter em seu celular imagens onde seus dois enteados, menores de idade, aparecem em cenas pornográficas . Após pagar fiança, ele foi liberado.

Os primos Lucas e Alexandre Silva, de 8 e 10 anos, e o amigo deles, o pequeno Fernando Henrique, de 11, alvos das buscas desta sexta-feira, foram vistos com vida pela última vez, no dia 27 de dezembro, em uma quadra de futebol de um condomínio, no Morro do Castelar. A polícia não divulgou os motivos que poderiam ter levados os traficantes a se envolverem no triplo desaparecimento.