Três integrantes do MST são baleados no norte de Minas Gerais

Foto: Luciano da Mata/Ag. A Tarde/ Futura Press

JOÃO PEDRO PITOMBO

SALVADOR, BA (FOLHAPRESS) - Três integrantes do MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra) foram baleados na manhã deste domingo (9) em uma fazenda na cidade de Capitão Enéas, norte de Minas Gerais.

Desde janeiro deste ano, cerca de 650 famílias ocupam a Fazenda Norte América, que tem o tamanho equivalente a três mil campos de futebol. O dono da fazenda, segundo o MST, seria o empresário Leonardo Andrade, ex-secretário de Agricultura de Montes Claros.

Segundo relato dos integrantes do MST, as famílias foram até a sede da fazenda na manhã deste domingo para uma reunião com o administrador do local, mas foram recebidas com tiros disparados de um carro com cerca de dez homens armados na carroceria.

"Nossas famílias foram recebidas por pistoleiros. O que houve foi uma emboscada, uma tentativa de massacre", diz Renato Santos, da coordenação do MST em Minas Gerais.

Segundo o MST, as vítimas afirmam que o empresário Leonardo Andrade, estava dirigindo o carro "enquanto os pistoleiros atiravam continuamente de cima da carroceria". A reportagem não conseguiu contato com Leonardo Andrade.

Segundo Renato Santos, do MST, havia uma negociação em curso a fazenda ser adquirida pelo governo federal através do Incra e destinada à reforma agrária. Um acordo previa a instalação de um sistema de irrigação no estabelecimento.

As vítimas foram encaminhadas para hospitais em Capitão Enéas e Montes Claros, mas não correm risco de morte.

Três pessoas foram atingidas por tiros: Géssica Thais Gonçalves Freitas, 24, levou um tiro na perna, Fabrício Alvins Lima, 31, foi baleado na barriga e Vildomar Oliveira Gomes, 31, foi atingido no pescoço.

Outras quatro pessoas receberam um tiro de raspão -incluindo uma criança de 10 anos, atingida no rosto.

Segundo a Polícia Militar de Capitão Enéas, dois funcionários da fazenda Norte América foram presos. Foram apreendidos com eles dois revólveres e munição. O caso está sendo investigado pela Polícia Civil de Montes Claros.