Três soldados franceses morrem no Mali

·1 minuto de leitura
Veículo blindado francês no monte Hombori durante o início da operação Barkhane das forças armadas da França na região de Gourma, no Mali, em 27 de março de 2019

Três soldados franceses foram mortos no Mali nesta segunda-feira (28), quando seu veículo blindado foi atingido por um objeto explosivo na região de Hombori, no norte do país da África Ocidental, anunciou a Presidência francesa.

Esta morte aumenta para 47 o número de militares franceses mortos desde o início de seu envolvimento na região do Sahel, em janeiro de 2013.

"O veículo deles foi atingido por um objeto explosivo improvisado enquanto eles participavam de uma operação na região de Hombori", anunciou o Eliseu em comunicado.

O presidente francês Emmanuel Macron expressou em um comunicado seu "grande respeito" à memória dos homens e reiterou "a determinação da França em seguir na luta contra o terrorismo".

A França está presente no Sahel no âmbito da operação Barkhane, na qual participam mais de 5 mil soldados nessa imensa área, que enfrenta a violência jihadista e uma crise de segurança que causou milhares de mortes de civis e militares nos últimos anos.

"Eles morreram enquanto cumpriam com seu dever, envolvidos em uma área onde grupos terroristas atacam a população civil e ameaçam a estabilidade regional, assim como a nossa própria segurança", reagiu a ministra da Defesa francesa, Florence Parly.

Os três mortos, que realizavam uma missão de escolta numa zona fronteiriça com o Níger e Burkina Faso, não puderam ser reanimados apesar de "uma intervenção imediata da equipe médica presente no comboio", explicou o Estado Maior do Exército em comunicado.

Inicialmente concentrados no norte do Mali no começo de seu auge nos anos 2010, os grupos jihadistas agora operam no centro do país e nos vizinhos Burkina Faso e Níger.

Jihadistas controlam vastos territórios rurais nos quais os Estados da região têm pouca ou nenhuma presença.

cs/thm/eg/eb/ic/mvv/bn