Trípoli suspende operações no domingo para que rebeldes se rendam

Patrick Baz

O Exército líbio anunciou nesta quinta-feira que, a partir de domingo, supenderá as operações militares contra a insurreição para que "os terroristas possam entregar suas armas', informou a agência líbia Jana. "O Comitê Central Provisório do Ministério da Defesa decidiu anular as operações militares contra os terroristas armados, a partir de domingo 00H00 (19H00 de Brasília), para dar-lhes uma oportunidade (aos rebeldes) de deixar as armas e se beneficiar de uma anistia geral", acrescentou a agência. O ministério da Defesa, em compensação, não precisou quanto tempo vai durar a suspensão das operações militares. As forças do dirigente líbio Muamar Kadhafi chegaram às portas de Benghazi, a segunda cidade do país e reduto da oposição, informou a tv estatal líbia. "A cidade de Zuwaytinah está sob controle (das forças leais a Kadhafi) e as forças armadas estão se aproximando de Benghazi", afirmou a tv. Zuwaytinah fica a 150 km ao sul de Benghazi. Desmentindo outras informações à estatal líbia, um porta-voz dos rebeldes disse à AFP que a cidade de Misrata, 200 km a leste de Trípoli, continua sob controle dos rebeldes. O porta-voz também informou que os combates de quarta-feira entre o exército governamental líbio e os rebeldes em Misrata deixaram 18 mortos, entre eles três civis. Anteriormente, a televisão estatal líbia anunciou que as forças do coronel Muamar Kadhafi tomaram o controle da cidade de Misrata. "As Forças Armadas tomaram o controle da cidade de Misrata e a estão limpando dos grupos criminosos armados", afirmou a emissora. Muamar Kadhafi afirmou na quarta-feira que as forças do regime efetuariam nesta quinta-feira "uma batalha decisiva" por Misrata, a terceira cidade do país.