Trabalhadores da Telmex fazem 1ª greve em décadas

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

Por Cassandra Garrison

CIDADE DO MÉXICO (Reuters) - O sindicato da Telmex, empresa de telecomunicações mexicana controlada pela família do magnata Carlos Slim, iniciou uma greve pela primeira vez em quase quatro décadas depois de não obter um acordo com a empresa, informou a entidade.

Dezenas dos 60 mil trabalhadores sindicalizados da Telmex se reuniram na quinta-feira do lado de fora da sede da empresa na Cidade do México depois de deixarem seus postos para a paralisação, a primeira desde 1985.

Os trabalhadores disseram que as negociações fracassaram devido a uma série de questões que, segundo eles, violavam um acordo coletivo de trabalho, incluindo terceirização de trabalho, exclusão de sindicalistas de novos projetos da Telmex e falta de investimento para cobrir necessidades operacionais e administrativas.

Além da Telmex, o grupo de Slim controla as operadoras Claro e Embratel no Brasil.

O sindicato mexicano, conhecido como STRM, também disse que a empresa ainda não preencheu quase 2 mil vagas que foram negociadas anteriormente e quer alterar os benefícios contratuais para novas contratações.

Omar Hernandez, 35, um representante do sindicato, disse que a greve é ​​o estopim de anos de tensão por divergências nas quais, segundo ele, a empresa desconsiderava os interesses dos trabalhadores. "A empresa não está mudando sua atitude", disse.

A Telmex, uma unidade da América Móvil, de Slim, disse em comunicado que o sindicato entrou em greve depois que não foi possível chegar a um acordo que fosse "financeiramente viável" para a empresa. A Telmex disse que continuará negociando com o sindicato.

Os dirigentes sindicais pediram na tarde de quinta-feira aos trabalhadores que votassem uma proposta mediada pelo Ministério do Trabalho que criaria um grupo composto por representantes de empresas e sindicatos e mediadores do governo, mas sem uma data para o fim da greve.

A ministra do Trabalho, Luisa Alcalde, disse no Twitter que estão sendo feitos progressos na resolução do conflito, acrescentando que espera que um acordo seja alcançado na sexta-feira. O presidente do México, Andres Manuel Lopez Obrador, afirmou que espera que haja um acordo entre esta sexta-feira e o sábado.

O sindicato disse em comunicado anterior que a Telmex utilizou "medidas coercitivas" ao negociar alguns aspectos do contrato.

O sindicato chegou a um acordo no mês passado para alguns trabalhadores receberem aumentos de 4,5%.

(Por Daina Beth Solomon e Cassandra Garrison)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos