Tradicional festival de teatro começa em "modo pandemia" no Chile

·1 minuto de leitura
Chilena usa máscara em Santiago, em meio à pandemia, em 29 de setembro de 2020

Depois de centenas de atividades culturais canceladas ao longo do ano devido ao coronavírus no Chile, o festival internacional de teatro "Santiago a Mil" começa neste domingo(3) após adaptar sua programação, com obras virtuais e presenciais com vagas restritas.

Na edição de número 28, o festival estabeleceu uma "estratégia gradativa" para lidar com a crise de saúde no país, que desde a primeira semana de dezembro tem enfrentado um aumento das infecções, o que levou as autoridades a decretar quarentena durante os fins de semana em Santiago e restringir a capacidade de atividades durante a semana.

“Mais do que um festival, Santiago a Mil já faz parte da vida das pessoas. É uma responsabilidade e um compromisso das pessoas e dos artistas fazê-lo”, afirmou a diretora, Carmen Romero.

Nesta versão, os tradicionais multitudinários espetáculos de rua foram substituídos por obras digitais transmitidas pelas plataformas Teatroamil.tv e Zoom, além de programas de rádio e na televisão aberta.

Também serão oferecidas experiências com um único espectador ou em pequenos grupos. No total, serão mais de 150 espetáculos - teatro, dança, música, ópera, circo, peças de rádio, tours de áudio - de 19 países.

Shows de luzes serão projetados por toda a cidade até o final do festival, em 24 de janeiro.

“Se não podemos estar em um teatro, precisamos encontrar novas formas de nos relacionarmos com as artes”, finalizou a diretora do evento.

pa/rsr/jc