Traficantes acusados de matar Dudu da Rocinha dentro de presídio vão a júri popular quase nove anos após o crime

·2 min de leitura

Seis traficantes acusados de envolvimento na morte de Eduíno Eustáquio de Araújo, o Dudu da Rocinha, irão a julgamento nesta quinta-feira no 3º Tribunal do Júri do Rio. O crime aconteceu em julho de 2013 dentro do Instituto Penal Vicente Piragibe, no Complexo de Gericinó, Zona Oeste do Rio. A sessão está marcada para começar as 13h.

Serão julgados Gutemberg Lino, Adriano Soares de Jesus, Marco Aurélio de Moura da Silva, Alexandre Antônio dos Santos, Marcus Vinicius dos Santos e Murilo Almeida de Melo. No dia 9 de novembro do ano passado, outros seis traficantes foram condenados por envolvimento no assassinato de Dudu.

De acordo com as investigações, Dudu foi morto após integrantes de sua facção criminosa desconfiarem que ele tinha sido responsável por delatar a existência de armas, munição, granada, drogas e celular num dos pavilhões do Instituto Penal Vicente Piragibe. O paiol foi descoberto por agentes penitenciários pouco após Dudu ter voltado de um castigo de duas semanas.

De acordo com o laudo de necropsia anexado ao processo, o traficante foi morto por estrangulamento. Segundo denúncia do MP, a intenção dos criminosos era simular uma morte por overdose de cocaína. Eles seguraram Dudu pelos braços e pernas, para obrigá-lo a inalar a droga, mas acabaram matando-o por asfixia. Dudu foi morto na madrugada do dia 8 de julho de 2013. Ele foi encontrado, já de manhã, desacordado em sua cela e chegou a ser levado para uma UPA dentro de Bangu, mas já chegou na unidade morto.

Dudu tinha sido preso em 2005, na noite de réveillon, quando chegava à Saquarema, na Região dos Lagos. Ele travou com Luciano Barbosa, o Lulu, uma sangrenta guerra pelo controle do tráfico na Rocinha. Lulu foi morto, em abril de 2004, durante uma operação do Bope na comunidade da Zona Sul.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos