Trans chamada de 'Fofão' diz que não vai mais retirar silicone do rosto: 'Só queria respeito'

Extra
·4 minuto de leitura

A transexual Juju Oliveira, que em agosto veio a público revelar ser vítima de bullying e que é chamada de "Fofão" nas ruas por ter colocado silicone industrial no rosto, repareceu nas redes sociais para falar da vaquinha virtual que abriu em setembro com a finalidade de arrecadar R$ 45 mil para fazer uma cirurgia e retirar o produto. Em um vídeo postado em seu Instagram na noite deste domingo, ela explicou que encerrou a vaquinha por não conseguir a quantia que precisava e informou que não vai mais retirar o silicone no rosto. Ela só conseguiu arrecadar R$ 8,8 mil, ou seja, cerca de 20% do valor.

"No início, não pensei em retirar o silicone do rosto, só fiz aquele vídeo (relatando o bullyng que sofre para por conta da aparência) para que as pessoas me respeitem e não me chamem mais de 'Fofão'. Não tirei o silicone do rosto porque, na real, eu não queria tirar. Eu só queria o respeito e que as pessoas não mexerem comigo na rua", disse. "A vaquina foi encerada porque ficou três meses sem ter contribuição, mas eu não gastei o dinheiro", enfatizou.

Juju também afirma que não usou o dinheiro doado na vaquinha para comprar a moto que anda circulando por Passo Fundo, no Rio Grande do Sul, onde mora. "Jamais usei dinheiro da vaquinha para comprar uma moto, que era um sonho grande meu. Juntei um dinheiro que me deram no Instagram e comprei a moto à vista", disse. "O dinheiro da vaquinha está guardado. Jamais compraria a minha moto com esse dinheiro".

A gaúcha, de 30 anos, e que trabalha na rua fazendo programas, realizou o procedimento no rosto em 2017 numa clínica clandestina e pagou para colocar 250 ml de silicone industrial, que foram espalhados por bochecha, nariz, queixo e maxilar.

"Parece ser muito, mas quando você coloca ele aparenta pouca coisa. O problema é que com o tempo ele dobra o tamanho. Meu problema são as bochechas e o pescoço, pois o silicone desceu", disse ela, em entrevista ao EXTRA em agosto.

"Estou muito arrependida. E preciso de uma cirurgia para retirar as bochechas e o excesso do silicone, que está descendo para o pescoço. Gostaria que um cirurgião me ajudasse de graça, já que não tenho dinheiro para pagar", contoiu Juju na ocasião.

Bullying nas ruas: 'Me chamam de 'Fofão'

Juju fez um desabafo nas redes sociais falando do bullying que vem sofrendo por ter colocado silicone no rosto. Num vídeo publicado em seu Facebook no dia 17 de agosto, ela, relata que até hoje é vitima de ataques por conta do resultado.

“Eles passam e me chamam de Fofão. Eu era uma pessoa como qualquer outra, aí fui inventar de fazer isso no rosto: silicone. Aí deu no que deu. Inchou e ficou desse jeito. Foi um erro meu”, lamenta. “Eu só estou querendo um pouco de respeito. Sou uma travesti de 30 anos. Sou natural de Passo Fundo, sempre morei aqui. Quero pedir um pouco mais de respeito”.

No vídeo publicado, ela contou ainda que trabalha na rua, fazendo programa: "Não estou aqui me queixando de nada. Só estou querendo respeito. Sou uma travesti, tenho 30 anos, trabalho na rua, e cada vez que as pessoas me veem elas gritam: Fofão!'. Não é por me comparar com Fofão, é pela falta de respeito pelo estado que eu estou. Olha como está o meu rosto. Muitas das vezes não quero vir para cá, mas eu preciso ganhar um troco".

A ex-BBB Ariadna também fez um post pedido ajuda e respeito para Juju. "Gente, a Juju é uma trans que teve aplicação de silicone industrial na sua face. Vem sofrendo todo tipo de preconceito e chacota em sua cidade e a única coisa que ela pede é RESPEITO. As pessoas são perversas e cruéis e não tem compaixão. Fazer chacotas e brincadeiras de mal gosto com pessoas com deficiências ou na formação ou acidentadas não é legal não é brincadeira. Espero que com a visibilidade do meu perfil, juntos possamos conseguir algum médico que se comova e ajude a Menina a retirar o silicone industrial e ela possa voltar a ter uma saúde melhor, porque o silicone industrial é como uma bomba relógio. Espero que alguma boa alma possa nos ajudar a ajudar a Ju".