Transexual é queimada viva no Recife

·2 minuto de leitura
De acordo com as primeiras informações, a vítima estava próxima ao Terminal Rodoviário quando um adolescente se aproximou, jogou um líquido inflamável e ateou fogo (Foto: Reprodução/Google Street View)
De acordo com as primeiras informações, a vítima estava próxima ao Terminal Rodoviário quando um adolescente se aproximou, jogou um líquido inflamável e ateou fogo (Foto: Reprodução/Google Street View)
  • Uma mulher trans, de 40 anos, foi queimada viva em Cais de Santa Rita, na região central de Recife (PE), na madrugada desta sexta-feira (25)

  • A vítima estava próxima ao Terminal Rodoviário quando um homem se aproximou, jogou um líquido inflamável e ateou fogo; a mulher foi encaminhada ao hospital com 40% do corpo queimado

  • De acordo com a polícia, o suspeito do crime é um adolescente. Ele tentou fugir, mas foi apreendido

Uma mulher trans, de 40 anos, foi queimada viva em Cais de Santa Rita, na região central de Recife (PE), na madrugada desta sexta-feira (25). O crime aconteceu próximo a um ponto de ônibus.

De acordo com as primeiras informações, a vítima estava próxima ao Terminal Rodoviário quando um homem se aproximou, jogou um líquido inflamável e ateou fogo. A identidade da vítima não foi revelada. 

Leia também:

De acordo com a polícia, o suspeito do crime é um adolescente. Ele tentou fugir, mas foi apreendido. Segundo as autoridades, ele foi encaminhado para o Departamento de Polícia da Criança e do Adolescente (DPCA), responsável por investigar o crime.

A mulher foi encaminhada ao Hospital de Restauração com 40% do corpo queimado, em estado grave. De acordo com informações de jornais locais, a vítima foi internada na ala masculina do local.

Segundo a assessoria do hospital, a mulher, ainda consciente, teria se identificado pelo nome masculino aos socorristas do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). Após a internação, o estado de saúde da vítima passou para regular.

Prefeito diz que o crime é "intolerável"

Na manhã desta sexta-feira (25), o prefeito do Recife, João Campos (PSB), usou as redes sociais para comentar o caso. De acordo com ele, o que aconteceu é "intolerável". 

"O que aconteceu é intolerável, atinge a todos e todas nós, comprometidos com a causa dos direitos humanos e do enfrentamento à qualquer tipo de violência e preconceito", escreveu.

Ele ainda disse que determinou que a Secretaria de Desenvolvimento Social acompanhe a vítima. 

"Determinei à nossa Sec. Desenv. Social que seja feito o acompanhamento e dada a assistência necessária à mulher trans vítima de queimaduras, na última madrugada, no Cais de Santa Rita".

Internautas pedem que crime seja classificado como transfobia

Nos comentários da publicação do prefeito, no entanto, usuários das redes sociais confrontaram a declaração, dizendo que a mulher não foi vítima de "queimaduras", mas sim transfobia. Segundo uma internauta, nomear o crime da maneira adequada pode ajudar nas investigações.

"Prefeito, só uma correção: a moça foi vítima de violência transfóbica. É preciso nomear da maneira adequada para que o caso seja investigado. Muito obrigada por solicitar a Sec. que acompanhe. Por favor, olhem para esse caso e pensem ações amplas de combate à LGBTfobia", disse.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos