"Mao" retratado por Andy Warhol é vendido por US$ 11 milhões na China

Hong Kong, 2 abr (EFE).- Uma das icônicas imagens da arte pop do pintor Andy Warhol que imortaliza o histórico líder comunista Mao Tsé-tung foi vendida neste domingo por US$ 11 milhões em Hong Kong, em um leilão realizado pela firma londrina "Sotheby's".

Trata-se de um dos 22 "Mao" da série de retratos que o pintor americano criou em 1973, e que pela primeira vez foi colocado à venda na China.

Com um preço estimado de entre US$ 12 e US$ 16 milhões, a peça superou os US$ 9,4 milhões pelos quais foi leiloada em Londres em 2014.

Aos US$ 11 milhões, o novo comprador deverá acrescentar US$ 1,6 milhão a mais pela transação.

Warhol começou a utilizar a imagem de Mao, extraída do famoso Livro Vermelho, quando China e Estados Unidos, enfrentados na Guerra Fria, aproximaram posturas após a histórica visita do presidente Richard Nixon a Pequim em 1972.

Pouco depois, Warhol fez uma tiragem de 28 imagens de Mao, das quais 22 foram emolduradas, quatro delas estão atualmente expostas em museus de todo o mundo e as 16 restantes estão em mãos de colecionadores privados.

As pinturas de Warhol figuram entre as peças de arte contemporânea mais comercializadas e lideraram a grande coleção de arte moderna e contemporânea ocidental que a Sotheby's pôs à venda neste domingo em Hong Kong.

O Warhol mais caro da série Mao é um retrato grande que foi adquirido por US$ 17,4 milhões em Nova York pelo magnata de Hong Kong Joseph Lau em 2006. EFE