Transição para carros elétricos na Volkswagen pode gerar 30 mil demissões

·2 minuto de leitura
Prague, Czech republic - October 1, 2015: Volkswagen car maker logo on a building of dealership on October 1, 2015 in Prague, Czech republic.
Prague, Czech republic - October 1, 2015: Volkswagen car maker logo on a building of dealership on October 1, 2015 in Prague, Czech republic.
  • Montadora alemã considera corte de 30 mil postos de trabalho;

  • Frase pode ser vista como uma aceleração da transição para os carros elétricos;

  • Empresa planeja produzir carros elétricos para competição com a Tesla.

Em uma reunião do conselho fiscal da Volkswagen, na sede da empresa em Wolfsburg (Alemanha), o CEO da empresa, Herbert Diess, declarou que a montadora poderia perder 30 mil empregos caso fizesse uma transição muito lenta para os veículos elétricos, segundo notícia relatada pela agência Reuters.

O motivo da pressa para a transição para os carros elétricos por parte da Volkswagen, tem muito a ver com a entrada da Tesla no mercado de carros alemães, tendo em vista que na última semana, Elon Musk, presidente da Tesla, anunciou que construirá uma fábrica em Gruenheide, próximo a região oriental de Berlim. A empresa planeja fazer 500 mil carros com 12 mil funcionários, enquanto a Volks produz 700 mil carros elétricos com 25 mil trabalhadores.

Leia também:

Um porta-voz da empresa confirmou em entrevista à Reuters, a posição de Diess de que a presença da Tesla e de outros na Alemanha aumentou a urgência da transição para veículos elétricos, mas negou que cálculos específicos tenham sido feitos sobre quantos empregos poderiam ser perdidos no processo.

A manchete teve grande reação dos sindicatos, com o porta-voz do Conselho de Trabalhadores da Volkswagen reagindo ao dizer que “uma redução de 30 mil empregos seria absurda e sem base”, enquanto o porta-voz do sindicato da região da Baixa Saxônia, acionista da Volkswagen, disse que tais cortes estão “fora de questão”.

Os veículos elétricos têm muito menos peças do que um carro com motor de combustão interna e, portanto, exigem menos trabalhadores para produzir. De acordo com uma estimativa, 100 mil empregos na indústria automobilística alemã podem ser perdidos até 2025 como resultado da eletrificação dos carros.

A fábrica da Volkswagen em Wolfsburg, a maior do mundo no número de trabalhadores, com mais de 50 mil funcionários, não fabrica veículos elétricos atualmente, mas a empresa planeja produzir um sedã elétrico na fábrica alemã a partir de 2026 sob um plano denominado "Projeto Trinity", segundo a Reuters.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos