Transporte público de SP não terá aumento no início de 2023

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - As tarifas de transporte público de São Paulo não terão aumento no início de 2023, segundo a prefeitura da capital e a equipe do futuro governo do estado. Desta forma, o valor de R$ 4,40 nas passagens de ônibus, metrô e trens da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) deverá ser mantido por mais um ano.

"Não vai ter aumento de tarifa, pelo menos agora nesta virada de ano, quando é cultural que as cidades reajustem. É o terceiro ano consecutivo de manutenção", disse o prefeito Ricardo Nunes (MDB) à Folha.

No estado, a decisão foi confirmada pela assessoria do governador eleito, Tarcísio de Freitas (Republicanos), em nota. "A tarifa será mantida de acordo com o compromisso de campanha do Tarcísio e como ele já vinha sinalizando agora na transição."

Nunes anunciou a manutenção da tarifa nesta quarta (28) durante inauguração de um centro de cuidados odontológicos na região central da capital. No entanto, ele condicionou a continuidade da medida durante todo o ano a um acordo com Tarcísio.

"Depois é uma questão de conversar com o governador para encaminhar os números e continuar o ano todo", afirmou sobre o congelamento de tarifa dos ônibus e transporte metropolitano custeado pelo governo estadual, como metrô e CPTM.

O prefeito também declarou que pretende conversar com o futuro governador para pedir o repasse do custo do passe de alunos da rede estadual transportados em ônibus da rede municipal -o valor não foi informado.

"Acho justo e já vinha conversando isso com o governador Rodrigo Garcia [PSDB]", disse.

Nunes disse ainda que a prefeitura se propõe a aumentar sua participação no subsídio do transporte público para que a população possa usufruir da tarifa congelada.

De acordo com o prefeito, o subsídio pago em 2022 chegou a quase metade do valor da operação dos ônibus municipais. Enquanto cerca de R$ 5,2 milhões foram obtidos pela tarifa cobrada dos usuários, outros R$ 4,7 milhões saíram dos cofres do município para cobrir as despesas das empresas.

"Nós avaliamos que é importante, mesmo que a prefeitura aporte mais recursos de subsídios, que a gente incentive o transporte coletivo. Isso melhora o trânsito da cidade, melhora a relação do ambiente com relação à poluição causada pelos veículos, e existe uma questão de retomada econômica nessa situação de quase que pós-pandemia", disse o prefeito.