Transporte por aplicativo é utilizado para compensar falhas na mobilidade urbana, mostra pesquisa da 99

Segundo a 99, 65% das viagens partem ou se dirigem aos bairros que estão fora do centro. 

No Rio de Janeiro, 24% das corridas de aplicativos de transporte é feita com origem ou destino em estações de metrô, trem, BRT, balsa ou terminais de ônibus. Os dados são da pesquisa "Como o brasileiro entende o transporte urbano", encomendada pela 99 à Ipsos, e mostram que os aplicativos têm sido usados pela população fluminense para compensar as falhas na mobilidade urbana do Rio de Janeiro.

De acordo com o estudo, 53% dos moradores do estado não têm acesso a pé a uma estação de metrô ou trem. Além disso, em muitas regiões do estado, há pouca integração entre diferentes modais, como metrô e ônibus, por exemplo.

A diretora de Relações Públicas da 99, Pâmela Vaiano, ressalta que os aplicativos de transporte têm tido um papel importante no acesso das periferias até as regiões centrais: 65% das viagens partem ou se dirigem aos bairros que estão fora do centro. 

— Democratizar o serviço por aplicativo e atuar positivamente na mobilidade dessas pessoas sem pesar no orçamento traz como resultado final mais qualidade de vida. O aplicativo é uma solução que, integrada a outros modais, pode ajudar na construção de cidades mais sustentáveis e inteligentes, proporcionando economia, rapidez e melhoria de vida à população — afirmou Pâmela.

O levantamento mostra ainda que os usuários de aplicativo utilizam 7,5 vezes mais o transporte público do que condutores de moto e carro. Carros por aplicativo utilizados em curtas distâncias lideram o ranking de chamadas nas capitais com 13%, seguidos pela combinação de aplicativo com ônibus municipal (10%).

Envie denúncias, informações, vídeos e imagens para o WhatsApp do Extra (21 99644 1263)