Travessias ilegais pelo Canal da Mancha quadruplicaram em 2020

·1 minuto de leitura
Porto de Dover, sudeste da Inglaterra, em 1º de janeiro de 2021

Mais de 9.500 imigrantes cruzaram ou tentaram cruzar o Canal da Mancha ilegalmente da França para a Grã-Bretanha no ano passado, quatro vezes mais do que em 2019, disseram autoridades marítimas francesas nesta sexta-feira.

"Em 2020, foram registrados 868 incidentes de tentativa ou travessia de imigrantes por barco no Canal, envolvendo 9.551 imigrantes", disse a autoridade marítima responsável pelo Canal e Mar do Norte.

Seis pessoas morreram e três desapareceram durante essas travessias, em comparação com quatro mortes em 2019, quando apenas 203 travessias ou tentativas de travessia foram detectadas.

Muitos imigrantes que chegam à Europa procuram ir para a Grã-Bretanha por acreditarem que haverá uma melhor chance de obter asilo ou residência, o que tem levado um número cada vez maior de pessoas a fazer a viagem pelas perigosas águas da movimentada via marítima.

França e Grã-Bretanha assinaram um novo acordo em novembro para controlar melhor essa rota, aumentando as patrulhas e usando radares e drones para detectar embarcações com mais rapidez.

A agência de fronteiras da UE disse nesta sexta-feira que as tentativas de travessia para a União Europeia estavam em seu nível mais baixo desde 2013, em grande parte devido a restrições de viagens relacionadas à pandemia de covid-19.

cmk-meb/eg/mr