TRE apura possível boicote a transporte público durante eleição em Teresina

TRE investiga boicote em Teresina - Foto: Getty Images
TRE investiga boicote em Teresina - Foto: Getty Images
  • TRE avalia se houve boicote de empresas de transporte público de Teresina durante eleição

  • Empresas não respeitaram ordem de circulação de frota completa durante o dia de votação

  • Se voltarem a repetir o ato, as companhias terão de pagar multa de R$ 50 mil por hora

O Tribunal Regional Eleitoral do Piauí (TRE-PI) está investigando um suposto boicote de empresas de transporte público de Teresina durante as eleições do último domingo (2).

A informação foi divulgada pelo próprio órgão, após a Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (Strans) revelar que as empresas de ônibus da capital descumpriram a ordem para circulação de toda a frota durante o dia de votação.

“Recebi uma representação por parte do Ministério Público, despachei, mandei notificar as empresas e determinei que o Oficial de Justiça fizesse uma visita pra fazer essa verificação. Me parece que houve uma espécie de boicote no transporte. Não temos certeza ainda, isso está em investigação. Posso assegurar que se tiver de fato havido essa trama pra prejudicar o eleitor, as empresas serão responsabilizadas civil e criminalmente”, declarou à TV Clube o presidente do TRE-PI, desembargador Erivan Lopes.

Multa de R$ 50 mil

O presidente do órgão também informou que será cobrada uma multa de R$ 50 mil por hora de cada empresa pelo descumprimento a partir de agora.

“Arbitrei a multa por empresa de R$ 50 mil por hora, fora a desobediência criminal. E ainda vamos analisar se não houve uma organização com vista a causar tumulto ao processo eleitora. Isso nós não perdoamos, não vamos aceitar e será objeto de investigação rigorosa”, afirmou.

Apesar deste apontamento, Erivan celebrou o dia de votação no estado e destacou o fato de "praticamente nenhuma intercorrência" ter sido registrada.