TRE determina remoção de vídeos em que Freixo critica Cláudio Castro

Freixo x Castro: Segundo a desembargadora que relatou os casos, afirmações foram feitas
Freixo x Castro: Segundo a desembargadora que relatou os casos, afirmações foram feitas "como se fossem a mais pura e inequívoca demonstração da verdade dos fatos” - Foto: REUTERS/Ricardo Moraes
  • TRE do RJ determina a exclusão de dois vídeos publicados por Marcelo Freixo;

  • Conteúdos criticavam Cláudio Castro e o acusavam de usar dinheiro do Ceperj em campanha eleitoral;

  • Vídeos não estão mais disponíveis.

O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do Rio de Janeiro determinou, neste domingo (11), a remoção de dois vídeos publicados por Marcelo Freixo (PSB) no Instagram. Os conteúdos criticam o governador e candidato à reeleição, Cláudio Castro (PL), e o acusam de usar dinheiro público na campanha eleitoral.

Segundo a desembargadora Márcia Ferreira Alvarenga, que relatou ambas as ações, Freixo “ultrapassou os limites considerados razoáveis para enunciação de críticas, invadindo a esfera dos direitos individuais do cidadão Cláudio Castro, seu adversário político”.

A magistrada deu um prazo de 24 horas para que a rede social remova o conteúdo. Na noite de domingo, nenhum dos vídeos aparecia mais como disponível.

O Radar, da Veja, tentou contato com a assessoria de Freixo, mas não obteve resposta.

O que diziam os vídeos

Em um deles, Freixo avalia a propaganda política de Castro como “ostensiva e violenta” e aponta que os que apoiam a reeleição do governador são custeados com “dinheiro de fantasma”, em referência ao escândalo envolvendo o pagamento de funcionários da Fundação Ceperj.

“Esse dinheiro é do CEPERJ. Você, quando olhar essa propaganda do Cláudio Castro na rua, pensa assim: esse dinheiro, dessa campanha do governador, era o dinheiro que tinha que estar garantindo creche pro meu filho; era o dinheiro que tinha que estar garantindo escola integral pro meu filho; era o dinheiro que tinha que estar contratando médico pra não ficar quatro anos na fila do SISREG. Então, esse dinheiro dessa propaganda toda do Cláudio, é pra pagar cabo eleitoral com fantasma. É a maior história, é o maior escândalo da história política do Rio de Janeiro. A história da CEPERJ, dos fantasmas do Cláudio Castro”, acusa o pessebista.

Na decisão, a desembargadora diz que Freixo fez “especulações em torno dos recursos utilizados na campanha eleitoral” e que as conclusões “não passariam, prontamente, pelo crivo da verdade, porquanto afirma e reafirma a origem espúria das verbas de campanha, dirigindo tais inferências ao eleitor como se, efetivamente, fossem a mais pura e inequívoca demonstração da verdade dos fatos”.

No segundo vídeo, o candidato alega estar “enfrentando uma máfia no Rio” ao se referir à propaganda de Castro, supostamente financiada com os recursos do Ceperj – o que seria, em suas palavras, “o maior exemplo de crime eleitoral”. Os argumentos de Alvarenga foram similares aos do primeiro conteúdo.

Veja as últimas pesquisas eleitorais para presidente: