TRE reconduz pastor ao comando do PTB do DF após alegação de falsificação de assinatura de Roberto Jefferson

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·1 minuto de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
*ARQUIVO* BRASÍLIA, DF, BRASIL, 16.01.2018, 14h00- ROBERTO-JEFFERSON - O presidente nacional do PTB, Roberto Jefferson, durante entrevista exclusiva à Folha de S.Paulo, na sede nacional do Partido Trabalhista Brasileiro, em Brasília (DF). (Foto: Mateus Bonomi/Folhapress)
*ARQUIVO* BRASÍLIA, DF, BRASIL, 16.01.2018, 14h00- ROBERTO-JEFFERSON - O presidente nacional do PTB, Roberto Jefferson, durante entrevista exclusiva à Folha de S.Paulo, na sede nacional do Partido Trabalhista Brasileiro, em Brasília (DF). (Foto: Mateus Bonomi/Folhapress)

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O Tribunal Regional Eleitoral ordenou em uma decisão liminar a recondução do pastor Fadi Faraj ao comando do diretório do PTB no Distrito Federal.

No final de agosto, Faraj havia sido destituído do cargo pela presidente interina do PTB, Graciela Nienov, que indicou José Gomes para o comando do diretório.

O desembargador eleitoral Renato Gustavo Coelho acatou o pedido de Faraj, que sugeriu uma falsificação da assinatura de Roberto Jefferson, atualmente preso por ordem do Supremo Tribunal Federal, na ordem de destituição.

Segundo Faraj, “alguma pessoa desconhecida ou não identificável, assinou a destituição com a assinatura digital do Jefferson”.

“Os atos privados decisórios, tomados no seio do partido, precipuamente quando possuírem carga condenatória ou supressora de direitos, devem ser tomadas com a observância do devido processo legal”, argumentou o desembargador.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos