Trem do samba fica sem desfile em 2021 após dois anos sem circular nas ruas

·1 min de leitura

Historicamente marginalizado, o samba continua enfrentando dificuldades. Com o popular Trem do Samba, que tem data marcada em todo Dia Nacional do Samba, comemorado em 2 de dezembro, não foi diferente. Sem ir às ruas há dois anos, o desfile não ocupará os vagões na Central do Brasil rumo à estação Oswaldo Cruz (o caminho que Paulo da Portela, fundador da escola de samba homônima, percorria na década de 1920) este ano.

O motivo são perdas financeiras, segundo disse a Supervia ao G1. A empresa afirmou que o evento não será realizado pois a prioridade é recuperar passageiros. Organizador do evento, Marquinhos de Oswaldo Cruz pretende montar três palcos no dia 4 no bairro homônimo com shows de convidados. Desde 2017, a comemoração deixou de receber repasses dos cofres públicos.

A cara da cidade, o evento completou seu jubileu de prata, 25 anos de existência, em 2020. Para comemorar, o Trem do Samba realizou uma live com um time de peso com participações de Jorge Aragão, Monarco, Nelson Sargento, Noca da Portela e Tia Surica, entre outros, além de membros das velhas guardas, intérpretes, mestres de bateria e outros integrantes de escolas de samba. Parte dos convidados participou de casa por conta da idade, como Nelson Sargento, que morreu em decorrência da Covid-19 em maio deste ano.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos