Trens, ônibus e metrô não circulam no início da manhã em São Paulo

Da Agência Brasil

A população de São Paulo amanheceu sem ônibus, trens e sem a quase totalidade de suas linhas de metrô, além de enfrentar diversos pontos de bloqueio nas principais vias da cidade. Apenas um pequeno trecho da malha metroviária paulistana, a Linha 4 Amarela, que liga a Luz, na área central, ao Butantã, na zona oeste, funcionou durante a manhã de hoje (28). O comércio está aberto.

Milhares de paulistanos se aglomeraram desde a madrugada nos principais terminais da cidade esperando transporte para ir ao trabalho. As linhas de ônibus urbanos ficaram paralisadas e apenas pequenos coletivos faziam percursos curtos dentro dos bairros periféricos. Na zona sul da capital paulista, o terminal do Grajaú estava abarrotado de moradores esperando ônibus.

Na zona leste, milhares de paulistanos, que habitualmente se deslocam em direção ao centro para trabalhar, ficaram na Estação Corinthians-Itaquera onde os trens do metrô não circularam.

Interdições

Grupos de manifestantes foram distribuídos por vários pontos de São Paulo e interditaram avenidas e ruas. Pneus foram queimados para impedir a circulação de veículos que tentavam se deslocar em direção ao centro. 

Policiais da tropa de choque da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros apagaram focos de incêndio causados por pneus colocados no asfalto. O trânsito foi paralisado em locais como a Avenida 23 de Maio, uma das principais ligações entre o centro e a zona sul, na Avenida Tiradentes, que une a área central à zona norte, e a Marginal Tietê na altura do Terminal Rodoviário, além da Avenida Ipiranga, no centro.

Houve vários confrontos entre policiais e grevistas. A Polícia Militar atirou bombas de efeito moral e balas de borracha para dispersar a manifestação. Segundo a Polícia Militar, até as 8h, 11 pessoas foram presas por atos de vandalismo durante os protestos.

Os aeroportos de Congonhas e de Guarulhos funcionaram normalmente e não houve interrupção dos vôos.