Trens antigos da CPTM são vendidos por R$ 268 mil

FÁBIO MUNHOZ
·1 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) vendeu, nesta quarta-feira (11), cinco lotes de trens antigos por R$ 268 mil. Cada um deles é composto por um carro - termo pelo qual são conhecidos os vagões destinados ao transporte de passageiros. As composições prestaram serviço até o ano passado na linha 7-rubi (Brás-Jundiaí). Cada carro foi vendido por R$ 53,6 mil. O lance inicial definido pela empresa foi de R$ 40,5 mil - a diferença, portanto, foi de 32,3%. As partes dos veículos integraram um leilão realizado pela empresa, que colocou à venda itens que não têm mais utilidade. Ao todo, o valor arrecadado foi de R$ 4,6 milhões. Também foram arrematados trilhos ferroviários, peças em cobre, dormentes e sucata em geral. Segundo a CPTM, este foi o terceiro leilão do tipo em 2020. Considerando os três certames realizados no ano, a estatal recebeu R$ 16,7 milhões. A CPTM não informou quem arrematou o lote com os trens antigos e nem o que será feito com os vagões. A notícia sobre o leilão animou colecionadores e pessoas aficionadas pelo transporte ferroviário. Os carros são da série 1.700 e foram comprados na década de 1980 pela antiga CBTU (Companhia Brasileira de Trens Urbanos). Uma das possibilidades é de que os vagões sejam utilizados para a montagem de comércios, como bares, restaurantes ou cafés. Cada um tem um espaço interior de 50 metros quadrados. Porém, os trens também podem ser desmontados e vendidos como sucata para empresas de reciclagem.