Tribunais de contas fecham seus prédios após avanço da ômicron

·1 min de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Tribunais de contas de alguns estados vão suspender o retorno ao trabalho presencial depois do recesso de fim de ano. Para tentar conter o avanço da ômicron e da gripe, estabeleceram regras mais rígidas para a circulação em seus edifícios.

O Tribunal de Contas do Paraná publicou nesta sexta (7) uma portaria proibindo o acesso às dependências do órgão até 31 de janeiro.

Até lá, os servidores devem permanecer em home office e as atividades presenciais ficam restritas alguns serviços considerados imprescindíveis. As sessões de julgamento também seguem de forma virtual.

No Mato Grosso do Sul, o tribunal de contas também decidiu suspender o expediente presencial até 30 de janeiro. A entrada do público nas instalações do órgão também está temporariamente proibida.

Segundo portaria publicada nesta sexta (7), o motivo é o recrudescimento da pandemia.

No Tribunal de Contas do Ceará, foram estabelecidas novas diretrizes de saúde que valem até fevereiro. Entre as medidas, o órgão restringiu o acesso às sessões presenciais às partes interessadas e procuradores, recomendou agendamento prévio para atendimento ao público e estabeleceu limite de 50% de funcionários por turno.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos