Braço uruguaio da Lava Jato detém 3 brasileiros em Montevidéu

Montevidéu, 3 mai (EFE).- Um cidadão uruguaio e três brasileiros residentes no país foram detidos nesta quinta-feira em Montevidéu em uma operação coordenada entre a Interpol do Uruguai e do Brasil como parte da Operação Lava Jato, segundo confirmou à Agência Efe o procurador do caso, Enrique Rodríguez.

Um comunicado da Procuradoria Geral da Nação afirmou que, após este fato, "se realizou a audiência de controle de detenção e a partir da notificação se abre um prazo de 40 dias para que o Estado do Brasil apresente formalmente a solicitação de extradição", de acordo com um convênio estabelecido entre os países-membros do Mercosul.

O organismo também esclareceu que o contato do Ministério Público do Rio de Janeiro com a procuradoria uruguaia começou "há mais de 15 dias e na segunda-feira, 30, se recebeu um 'alerta vermelho' da Interpol para proceder a detenção destas pessoas", que agora cumprem prisão preventiva no país.

A operação "Câmbio, Desligo", que foi realizada em seis estados brasileiros, assim como no Uruguai e no Paraguai, teve como foco um grupo de doleiros que, segundo a confissão de dois acusados, teria conseguido movimentar US$ 1,6 bilhão em mais de 52 países de forma ilícita.

De acordo com a Polícia Federal brasileira, o grupo delitivo era responsável por uma complexa estrutura de lavagem de dinheiro transnacional e ocultação de divisas.

A polícia brasileira saiu hoje às ruas para cumprir 43 ordens de prisão preventiva no Brasil, seis de detenção preventiva no exterior (em países como Uruguai e Paraguai), quatro de prisão temporária e 51 mandatos de busca e apreensão, segundo o comunicado divulgado pelas autoridades.

No total, pelo menos 33 pessoas foram detidas no marco desta operação tanto no Brasil como no Uruguai. EFE