Tribunal condena herói de filme "Hotel Ruanda" em caso de terrorismo

·1 minuto de leitura
Paul Rusesabagina

Por Clement Uwiringiyimana

KIGALI (Reuters) - Um tribunal ruandês condenou nesta segunda-feira Paul Rusesabagina, ex-gerente de hotel retratado como herói em um filme de Hollywood sobre o genocídio de 1994, a 25 anos de prisão depois que ele foi considerado culpado de acusações de terrorismo.

Rusesabagina, de 67 anos, festejado em todo o mundo depois de ser interpretado pelo ator Don Cheadle no filme "Hotel Ruanda", é um crítico aberto do presidente Paul Kagame. Ele negou todas as acusações e disse que foi sequestrado de Dubai neste ano para ser submetido a julgamento. Seus apoiadores qualificaram o julgamento como uma farsa e uma prova do tratamento impiedoso de Kagame a seus oponentes políticos.

"Rusesabagina... é considerado culpado de ser membro de um grupo terrorista e de participar de atividades de terrorismo, mas absolvido de criar um grupo armado ilegal", disse o juiz Antoine Muhima.

Procuradores pediram a prisão perpétua de Rusesabagina com base em nove acusações, incluindo terrorismo, incêndio criminoso, fazer reféns e formar um grupo rebelde armado. Ele foi condenado por oito delas.

Rusesabagina reconhece um papel de liderança no Movimento pela Mudança Democrática de Ruanda (MRCD), um grupo que se opõe ao governo Kagame, mas negou responsabilidade por atos de violência realizados por sua facção armada, a Frente Nacional de Libertação (FLN).

Alguns sobreviventes do genocídio acusaram Rusesabagina de usar seu sofrimento para parecer heróico.

(Reportagem adicional de Sabine Siebold e Clement Rossignol em Bruxelas)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos