Tribunal de Contas aponta superfaturamento no estádio Mané Garrincha

Redação Notícias
Tribunal de Contas aponta superfaturamento no estádio Mané Garrincha

Estádio mais caro entre os construídos para a Copa do Mundo de 2014, o Mané Garrincha, em Brasília, teve superfaturamento de R$ 431 milhões, afirma análise do Tribunal de Contas do Distrito Federal. As informações são da Folha de S.Paulo.

Leia também:
Aluguel de casa para Copa custa até R$ 390 mil mensais

O superfaturamento da obra é resultado de uma série de irregularidades, que vão do cálculo equivocado com transporte à compra indevida de material. No início da obra, em 2010, o custo era estimado em R$ 700 milhões. Atualmente, é de R$ 1,4 bilhão.

"Sem mais esforços, percebe-se que os custos foram superestimados, pois o transporte de pré-moldados ocorre dentro do próprio canteiro de obras. A utilização de custo de transporte 'Brasília-Goiânia' é totalmente inadequada para o serviço, não merecendo comentários adicionais para a reprovação do método", aponta o relatório.

O tribunal apurou cinco processos diferentes e, no somatório, chegou-se ao superfaturamento de R$ 431 milhões.

O governo do Distrito Federal negou irregularidades nas obras do Mané Garrincha e afirmou que é a mais transparente das 12 sedes de acordo com o Instituto Ethos.