Tribunal dos EUA atrasa a política de imigração de Biden

·1 minuto de leitura
O presidente americano, Joe Biden, e sua vice, Kamala Harris, na Casa Branca, em Washington, DC, 21 de janeiro de 2021

Um tribunal federal dos Estados Unidos bloqueou nesta terça-feira (26) a decisão do governo Joe Biden de interromper as deportações de imigrantes ilegais por 100 dias.

Solicitado com urgência pelas autoridades republicanas do Texas, o juiz Drew Tipton decidiu suspender temporariamente a medida até que seja realizada uma análise mais profunda da questão. "O Texas mostrou que tem chances de êxito", disse.

De acordo com uma de suas promessas de campanha, o democrata Joe Biden assinou em seu primeiro dia na Casa Branca uma moratória sobre a deportação de imigrantes indocumentados que chegaram aos Estados Unidos antes de 1º de novembro de 2020.

O procurador-geral do Texas, Ken Paxton, apelou imediatamente aos tribunais. Nesta terça, ele saudou uma decisão judicial "que prioriza o respeito à lei e a segurança dos cidadãos".

A poderosa organização de direitos civis ACLU, porém, o acusou de "querer evitar que o governo Biden vire a página" das "desastrosas políticas de imigração" executadas por Donald Trump.

Esta batalha legal, que está apenas começando, provavelmente é o prenúncio da dura luta que se aproxima sobre as questões de imigração.

Biden adotou em 20 de janeiro uma visão oposta à do governo republicano anterior, cancelando as medidas mais polêmicas tomadas por Trump, incluindo sua proposta de construir um muro em toda a fronteira com o México.

Ele também enviou ao Congresso um projeto de lei que pode levar à regularização de milhões de imigrantes sem documentos, o que é considerado demais para muitos de seus opositores.

chp/cjc/tly/rsr/ic