Tribunal dos EUA ordena expulsão de ex-guarda de campo de concentração nazista

Placa colocada no antigo campo de concentração de Neuengamme em Hamburgo, Alemanha

Um tribunal dos Estados Unidos emitiu uma ordem de deportação à Alemanha contra um ex-guarda de um campo de concentração, um nonagenário que vive nos Estados Unidos desde 1959, anunciou nesta quinta-feira o Departamento de Justiça.

O tribunal especializado em temas de imigração ordenou a demissão de Friedrich Karl Berger por "ter servido voluntariamente como guarda armado em um campo de concentração onde ocorreu a perseguição", segundo um comunicado.

O tribunal, localizado em Memphis, concluiu depois de dois dias de processo que ele tinha trabalhado para o complexo do campo de concentração de Neuengamme, sudeste de Hamburgo, e particularmente em um de seus campos externos perto de Meppen.

Os presos viviam ali em condições "atrozes" e foram submetidos a trabalhos forçados "até o ponto de morrer de fadiga", segundo a juíza Rebecca Holt, citada no comunicado de imprensa. Friedrich Berger admitiu que tinha impedido que os prisioneiros fugissem.

No fim de março de 1945, os nazistas, ameaçados pelo avanço dos aliados, tinham abandonado o acampamento de Meppen. Segundo o tribunal, Friedrich Berger tinha escoltado os prisioneiros a Neuengamme e 70 deles morreram durante as quase duas semanas de traslado.

"Berger fazia parte da opressiva máquina das SS", disse uma autoridade de alto escalão do Departamento de Justiça, Brian Benczkowski. A decisão de expulsá-lo "destaca a determinação do Departamento de obter um pouco de justiça, mesmo que tardiamente, para as vítimas da perseguição nazista".

O governo americano criou, em 1979, um programa dedicado à busca e à expulsão de antigos nazistas instalados nos Estados Unidos.

Desde então, 67 pessoas foram expulsas neste contexto, disse à AFP Eli Rosenbaum, um dos funcionários do programa.