Tribunal de Hong Kong nega fiança a funcionários do Apple Daily acusados sob lei de segurança nacional

·1 minuto de leitura
Jornalistas do Apple Daily trabalham na última edição do jornal

HONG KONG (Reuters) - O pedido de fiança de quatro funcionários do agora fechado jornal pró-democracia Apple Daily foi negado em um tribunal de Hong Kong nesta quinta-feira, após eles serem indiciados por conluio com forças estrangeiras sob a lei de segurança nacional que intensificou temores de violações de liberdade de imprensa.

A emissora pública RTHK disse que o juiz de segurança nacional Victor So rejeitou os pedidos de fiança porque não havia evidência suficiente para demonstrar que os réus "não cometerão mais atos que coloquem em risco a segurança nacional".

As acusações são as mais recentes em uma investigação de segurança nacional contra o jornal do magnata da mídia Jimmy Lai, que fechou após uma batida com centenas de policiais aos seus escritórios em 17 de junho, congelando seus ativos e contas bancárias.

O caso foi adiado até 30 de setembro.

O grupo de mídia Next Digital, que publicava o Apple Daily, não respondeu imediatamente ao pedido por comentários.

O popular tabloide de Lai, ferrenho crítico de Pequim, publicou sua última edição em 24 de junho, após a batida da polícia e a prisão de vários funcionários.

As autoridades negam a erosão de direitos e liberdades, incluindo da imprensa, em Hong Kong, mas afirmam que atos que ameaçam a segurança nacional da China passaram dos limites. Autoridades de segurança têm dito que as ações policiais são baseadas em evidências e nada têm a ver com o histórico ou a profissão dos indivíduos.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos