Tribunal do Reino Unido rejeita recursos contra expulsões de migrantes para Ruanda

Várias pessoas deverão ser deportadas para Ruanda na terça-feira (14) como parte da polêmica política do primeiro-ministro britânico de enviar de volta os migrantes que chegaram ilegalmente ao Reino Unido.

Na véspera das primeiras deportações programadas, os tribunais britânicos rejeitaram, nesta segunda-feira (13), os recursos de última hora contra o controverso plano do governo de enviar migrantes que chegaram ilegalmente ao Reino Unido para Ruanda.

Um primeiro vôo de cerca de 30 pessoas deverá partir amanhã. "O recurso é indeferido", disse o juiz do Tribunal de Apelação em Londres, que foi solicitado a decidir contra o plano do governo conservador de Boris Johnson, criado para "desencorajar o surgimento de travessias ilegais do Canal da Mancha".

A política da ministra do Interior britânica, Priti Patel, é altamente controversa no país. Várias manifestações foram realizadas para protestar contra o retorno de migrantes a Ruanda. O príncipe Charles, que não costuma comentar a política do governo, denunciou há alguns dias "uma política terrível", de acordo com o TheTimes.

"Não está certo de forma alguma".

Mas enquanto as ONGs não conseguiram proibir a medida, os vários protestos lançados em paralelo tiveram o efeito de reduzir significativamente o tamanho do primeiro vôo, que deve decolar amanhã e é provável que esteja quase vazio.

"Vinte e três pessoas tiveram suas passagens para Ruanda canceladas. Oito ainda deverão partir amanhã", disse nesta segunda-feira a Care4Calais, uma das organizações que haviam tomado medidas legais para "deter este projeto cruel e bárbaro".


Leia mais

Leia também:
Maioria dos italianos é a favor do censo de ciganos proposto por vice-premiê ultranacionalista
Trump chama Haiti e nações africanas de “países de merda”
Governo do Reino Unido expulsa imigrantes caribenhos que vivem no país há décadas

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos