Trinta ONGs pedem à Europa que suspenda a expulsão de migrantes afegãos

·1 minuto de leitura
Soldados afegãos em avenida de Cabul em 20 de julho de 2021

Trinta organizações não governamentais apelaram nesta quarta-feira (21) à União Europeia para suspender "imediatamente" as expulsões de migrantes afegãos, em razão da intensificação dos combates naquele país.

“A insegurança no Afeganistão não permite mandar pessoas de volta àquele país sem colocar suas vidas em risco”, explicaram as ONGs europeias em um comunicado conjunto.

O Afeganistão, em 11 de julho, pediu aos países europeus que interrompessem a expulsão de migrantes afegãos pelos próximos três meses.

“Alguns países europeus (como Finlândia e Suécia) respeitam o apelo do governo afegão e deixaram de aplicar medidas de repatriação, mas outros continuam, apesar de tudo”, explicaram as organizações.

O destino desses imigrantes é "profundamente preocupante", explicam as ONGs, que também pedem aos países europeus que "reexaminem todas as respostas negativas dadas aos requerentes de asilo que ainda estão na Europa" por causa da recente degradação da segurança.

O Talibã lançou uma ampla ofensiva contra as forças afegãs no início de maio, aproveitando a retirada das forças internacionais, prevista para ser concluída no final de agosto.

“A já terrível situação do país piorou ainda mais e os civis sofrem um grande nível de violência”, alertam as ONGs.

Os afegãos representaram 10,6% dos requerentes de asilo na UE em 2020 (pouco mais de 44.000 do total de 416.600 pedidos), o segundo maior contingente atrás dos sírios (15,2%), de acordo com a agência de estatísticas Eurostat.

ld/ctx/sp/jz/mar/ap

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos