Tripulação do cruzeiro Greg Mortimer desembarca para fazer quarentena em Montevidéu

Por Gabriela VAZ
Cerca de 36 tripulantes do cruzeiro Greg Mortimer estão infectados com coronavírus, embora não apresentem sintomas

Mais de 60 tripulantes do cruzeiro australiano Greg Mortimer, dos quais a maioria testou positivo para coronavírus, desembarcaram nesta terça-feira (12) em Montevidéu para cumprir uma quarentena em dois hotéis da capital uruguaia.

Um ônibus classificado como "alaranjado" transportará os 36 infectados - de acordo com os testes mais recentes, realizados no domingo - a um hotel especialmente condicionado para recebê-los, e outro "verde" levará os que testaram negativo para outro alojamento.

O ministro das Relações Exteriores, Ernesto Talvi, afirmou nesta terça-feira que o desembarque é necessário porque, apesar da passagem dos dias, os positivos não conseguiram superar o vírus.

"Tomamos a decisão de recebê-los, com todas as garantias de saúde para a cidadania. Que todos fiquem tranquilos, isto é feito de maneira imaculada, impecável, não haverá riscos", garantiu em coletiva de imprensa no porto.

- Sem sintomas -

Os hotéis escolhidos para a quarentena, ambos da rede Regency e localizados em bairros costeiros de Montevidéu, estão fechados ao público geral e adotaram um protocolo rigoroso supervisionado pelo Ministério da Saúde Pública.

Os tripulantes não manterão contato com a equipe e não poderão sair dos quartos, onde terão todos os elementos de higiene e limpeza, que deverão realizar por conta própria. As refeições serão deixadas na porta e farão exames médicos diários.

Talvi esclareceu que nenhum dos 36 positivos para COVID-19 apresentam sintomas, portanto, não se espera que tenham problemas de saúde.

Ambos os grupos serão tratados sob o mesmo protocolo. "Os que testaram negativo, como estavam em um foco, trataremos como se fossem positivos, com isolamento total", afirmou Talvi.

Quando se passarem os 14 dias, os que testarem negativo e permanecerem sem sintomas receberão alta. Então, estarão habilitados a pegar voos comerciais para retornar a seus países.

A bordo estarão 20 tripulantes que não foram infectados com a doença, considerados essenciais para a segurança do navio. A companhia de navegação também enviará outros quatro para se juntar a essa tripulação, informou o ministro.

Enquanto isso, uma empresa ficará encarregada de desinfetar o navio.

Se em "14 ou 21 dias" os testes continuarem negativos, o navio poderá sair com essa tripulação essencial rumo a Las Palmas, Espanha.

O Greg Mortimer, propriedade da empresa Aurora Expeditions, estava ancorado a 20 km do porto de Montevidéu desde o final de março, após a detecção de casos de coronavírus entre as mais de 200 pessoas a bordo.