Troca de mensagens da Lava-Jato abre ofensiva nos tribunais contra procuradores da força-tarefa

Gustavo Schmitt

SÃO PAULO – As trocas de mensagens entre integrantes da força-tarefa da Lava-Jato motivam uma ofensiva contra procuradores que fizeram parte do grupo, muito além do embasamento do voto dos ministros Gilmar Mendes e Ricardo Lewandowski pela suspeição do ex-juiz Sergio Moro.

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) abriu uma investigação para apurar a conduta dos membros da força-tarefa. No Tribunal de Contas da União (TCU), foram abertos dois processos este ano. Já no Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), já há pelo menos três procedimentos pedindo explicações de procuradores.