Tropas russas devem começar a deixar Cazaquistão em dois dias, diz presidente

·1 min de leitura
Presidente do Cazaquistão, Kassym-Jomart Tokayev, participa de sessão do Parlamento em Nur-Sultan

Por Tamara Vaal

NURSULTAN (Reuters) - Um bloco militar liderado pela Rússia irá começar a retirar suas tropas do Cazaquistão em dois dias, após cumprir sua principal missão de estabilizar o país da Ásia Central, afirmou o presidente cazaque, Kassym-Jomart Tokayev, nesta terça-feira.

Tokayev disse ao Parlamento que estava indicando o funcionário público de carreira Alikhan Smailov para o cargo de primeiro-ministro e falou sobre iniciativas para diminuir as desigualdades de renda, elevar impostos sobre o setor de mineração, e eliminar irregularidades nos processos de licitação do Estado.

Tokayev, 68, pediu à Organização do Tratado de Segurança Coletiva (OTSC), liderada por Moscou, o envio de tropas no auge do que depois foi chamado de uma tentativa de golpe de Estado, na qual instigadores não identificados mergulharam o território do país rico em petróleo em violência.

Um dia antes, Tokayev disse que a missão da OTSC, cuja legitimidade e duração foi questionada pelos Estados Unidos provocando uma resposta enfurecida de Moscou, tinha 2.030 militares e 250 peças de equipamentos militares.

"A principal missão das forças de paz da OTSC foi completada com sucesso", disse Tokayev ao Parlamento em uma videoconferência. "Em dois dias uma retirada em fases do contingente unido das forças de paz da OTSC irá começar. O processo de retirada do contingente não levará mais do que 10 dias."

O presidente russo, Vladimir Putin, disse na segunda-feira que o destacamento de forças foi essencial, comemorando a vitória na defesa do Cazaquistão do que descreveu como um levante terrorista com apoio internacional.

(Reportagem de Tamara Vaal)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos