Tropas ucranianas chegam aos EUA para treinamento com sistemas antimísseis Patriot

Soldados ucranianos chegaram aos Estados Unidos para aprender a operar o sistema de defesa antiaérea Patriot com o objetivo de proteger seu país dos ataques de mísseis russos, como o que matou pelo menos 40 pessoas na cidade de Dnipro.

A equipe ucraniana chegou neste domingo à noite a Fort Sill, no estado do Oklahoma, para receber treinamento na Escola de Artilharia de Defesa Aérea do Exército dos Estados Unidos, informou o coronel Curtis King, que chefia a academia, em um vídeo publicado no Twitter.

Washington prometeu uma bateria de defesa aérea Patriot para a Ucrânia no final do ano passado para ajudar a combater os seguidos ataques aéreos de Moscou. Esse fornecimento foi uma vitória significativa para Kiev, que repetidamente pressionou os aliados americanos pelo envio do sistema durante a guerra lançada por Moscou no final de fevereiro do ano passado.

King não informou quantos militares ucranianos chegaram a Oklahoma, mas o Pentágono havia informado no início do mês que entre 90 a 100 soldados viajariam aos Estados Unidos para aprender a operar o sistema Patriot em um curso com duração de vários meses.

A defesa aérea tem um papel-chave para proteger a Ucrânia e impedir que as forças de Moscou tomem o controle dos céus.

Mas, diante de seguidos reveses no terreno, a Rússia começou a atacar a infraestrutura crítica na Ucrânia, interrompendo o fornecimento de eletricidade, água e aquecimento para milhões de pessoas.

Também atingiu estruturas exclusivamente civis.

Um ataque com mísseis russos atingiu no domingo um prédio de apartamentos em Dnipro, leste da Ucrânia, matando pelo menos 40 pessoas. A Rússia negou qualquer responsabilidade pelo ataque e culpou os ucranianos.

Fabricado pelo grupo Raytheon, o MIM-104 Patriot é um sistema de mísseis terra-ar desenvolvido inicialmente para interceptar aeronaves voando alto.

Ele foi modificado na década de 1980 em face da ameaça de mísseis balísticos táticos e foi usado pela primeira vez em combate contra os mísseis Scuds iraquianos de fabricação russa na primeira Guerra do Golfo.

dw/bbk/db/llu/am/mvv