Trump agradece presidente do México por sua 'amizade'

·2 minuto de leitura
O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump

A oito dias de deixar o cargo, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, agradeceu ao colega mexicano, Andrés Manuel López Obrador, nesta terça-feira (12) pela "amizade" e apoio no controle da fronteira comum.

Em Álamo, no Texas, próximo a um trecho do muro que impulsionou para impedir "o crime e as drogas", o presidente republicano em fim de mandato não poupou elogios a López Obrador.

“Quero agradecer ao grande presidente do México. Ele é um grande cavalheiro, um amigo meu. O presidente (López) Obrador é um homem que realmente sabe o que está acontecendo. Ele ama seu país e também ama os Estados Unidos”, elogiou Trump.

“Quero agradecer por sua amizade e sua relação profissional de trabalho”, acrescentou sobre o mandatário mexicano, no poder desde dezembro de 2018.

Trump destacou o envio pelo México de 27 mil soldados para patrulhar suas fronteiras nos últimos dois anos, o que, segundo o presidente americano, permitiu coibir a imigração ilegal, principalmente oriunda da América Central.

Além disso, Trump comemorou os Protocolos de Proteção ao Migrante (MPP) assinados com o México durante o governo López Obrador, acordo que qualificou de "pioneiro" e pelo qual os estrangeiros que chegam à fronteira dos Estados Unidos solicitando asilo devem aguardar a resolução de seus casos em território mexicano.

"Esta medida por si só acabou com uma crise humanitária e salvou inúmeras vidas", disse Trump.

Os Estados Unidos e o México compartilham cerca de 3.200 quilômetros de fronteira.

A Casa Branca afirmou que o presidente viajou para Álamo para "marcar a conclusão de mais de 400 milhas (640 km) de muro de fronteira", o que Trump considerou uma "promessa cumprida", e para "destacar os esforços de seu governo para reformar um sistema de imigração disfuncional".

No entanto, o "grande e magnífico" muro prometido por Trump na campanha eleitoral de 2016 não foi concluído. Apenas cerca de 20 km foram construídos em áreas onde antes não havia barreira física. O restante corresponde a melhorias ou reforços de barreiras existentes.

E o México nunca pagou pelo muro, como Trump havia prometido.

Apesar das tensões com o México por questões de imigração e comércio, Trump manteve uma relação muito cordial com López Obrador, que o visitou em Washington em julho passado durante a campanha eleitoral nos Estados Unidos, um gesto que foi criticado por opositores e alguns analistas políticos mexicanos.

bur-ad/lda/am/mvv