Trump conversa com rei saudita após bombardeio americano na Síria

Washington, 8 abr (EFE).- O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e o rei da Arábia Saudita, Salman bin Abdulaziz, conversaram ontem sobre o bombardeio americano contra uma base aérea na Síria, informou a Casa Branca neste sábado em comunicado.

De acordo com o governo dos EUA, Abdulaziz "reafirmou o forte apoio saudita" ao ataque de quinta-feira em que dois destroieres norte-americanos dispararam dezenas de mísseis que atingiram uma base em Shayrat.

O monarca saudita "agradeceu ao presidente (Trump) sua ação corajosa, e ambos concordaram que era uma resposta necessária ao terrível ataque com armas químicas" da terça-feira passada em Khan Sheikhoun, na província síria de Idlib, onde morreram mais de 80 pessoas.

"Ambos os líderes ressaltaram o seu compromisso pessoal para fortalecer o relacionamento entre os dois países e para manter contato em uma ampla gama de questões bilaterais e regionais", indicou o comunicado da Casa Branca.

O regime saudita é um dos maiores críticos e opositores do presidente sírio Bashar al Assad e seus aliados iranianos.

O caos da guerra civil síria, que já ultrapassa seu sexto ano, levou as duas potências regionais do Oriente Médio de maioria sunita (Arábia Saudita) e xiita (Irã) a respaldar facções opostas e embaralhar ainda mais a complexa teia de interesses na Síria.

Os Estados Unidos lançaram dezenas de mísseis de cruzeiro Tomahawk contra uma base aérea síria, de onde supostamente foi lançado o ataque com armas químicas de terça-feira, o pior desde outro em 2013 que levou Damasco a comprometer-se a entregar todo seu arsenal químico. EFE