Trump critica o sistema educacional dos EUA durante evento de campanha

O ex-presidente Donald Trump criticou na segunda-feira (13) o sistema educacional dos Estados Unidos, que chamou de "insano", ao mesmo tempo que prometeu retornar como "senso comum" às salas de aula como parte de sua plataforma de campanha "America First" (EUA em Primeiro Lugar).

Em um discurso para potenciais eleitores no estado de Iowa, Trump mencionou o que os republicanos consideram uma imposição da ideologia "woke" ao ensino escolar, um tema cultural cada vez mais importante nos Estados Unidos.

"Temos que voltar ao bom senso, e isso significa ler, escrever, aritmética", disse Trump aos eleitores em Davenport, depois de ser questionado sobre o suposto fato de que as escolas estão se transformando em "campos de doutrinação concentrados em sexualizar nossos filhos".

"O que eles estão ensinando nas escolas hoje é insano", disse o republicano de 76 anos, que aspira um segundo mandato presidencial, depois de ser derrotado na eleição de 2020.

Trump apresentou seu plano de política educacional em janeiro, com pedidos de cortes do financiamento federal para programas que ensinam as crianças sobre "teoria crítica da raça, ideologia de gênero ou qualquer conteúdo considerado inapropriado de caráter racial, sexual ou político".

Na segunda-feira, ele também defendeu a escolha da escola, o direito dos pais de definir os diretores e o controle estadual - em vez do federal - sobre os currículos.

Além disso, Trump repetiu a promessa de "manter os homens fora dos esportes das mulheres", em uma referência aos esforços dos republicanos para proibir a participação de mulheres e meninas trans de equipes esportivas que correspondam a sua identidade de gênero.

O porta-voz do Comitê Nacional Democrata, Rhyan Lake, criticou o esforço do bilionário republicano para asfixiar a educação pública enquanto injeta milhões de dólares em escolas particulares.

Uma pesquisa Des Moines Register/Mediacom Iowa divulgada na sexta-feira mostrou que Trump ainda tem uma influência significativa em Iowa, apesar de seu índice de opiniões favoráveis entre os que se identificam como republicanos ter registrado queda de 91% em setembro de 2021 para 80% atualmente.

O governador da Flórida, Ron DeSantis, que desponta como o principal rival de Trump para obter a candidatura republicana em 2024, registrou 74% de opiniões favoráveis. O percentual de republicanos que afirmaram que "definitivamente votariam" em Trump se ele for o candidato do partido também caiu, de 69% em junho de 2021 para 47% atualmente.

ft-caw/jh/ag/dl/fp